Pour une conception historicisée et graduelle de la poéticité. L’interaction des dimensions sémantique, énonciative et iconique dans trois poèmes (Sponde, Follain, Bonnefoy)

Autores

  • Michèle Monte Universidade de Toulon

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v26i2p109-133

Palavras-chave:

poesia, textualidade, verso e prosa, decontextualização, enunciação, iconicidade, semântica

Resumo

Defendemos neste artigo que os textos poéticos, tais como outros textos, devem ser analisados conforme tres perspectivas : semântica, icónica e enunciativa, cada uma com um polo negativo e um polo positivo. Do ponto de vista semântico, tanto os textos poéticos como os científicos situam-se no polo positivo, pois criam uma nova representação do mundo. Do ponto de vista icónico – a chamada função poética de Jakobson –, os poemas estão geralmente perto do polo positivo, mas a sua posição exata depende de características formais que mudaram ao longo da história. Partilham esta posição com os textos publicitários ou as canções. Do ponto de vista enunciativo, muitos dos textos poéticos, de natureza lírica, ocupam uma posição média entre os dois polos, pois naõ mostram a sua origem literária e apresentam-se como discursos comuns. Tal não é o caso da epopeia, que está muito perto do polo positivo, assim como os romances e toda a fição. Definir os textos a partir de tres perspectivas diferentes, e propor uma classificação gradual desde um polo negativo até um polo positivo, permite apreender melhor a especificidade dos textos poéticos, e também tomar em conta a evolução muito importante que a poesia sofreu ao longo dos séculos. Depois de apresentar o nosso modelo, pomo-lo à prova da análise de tres poemas diferentes : um soneto barroco de Jean de Sponde, e dois poemas do século vinte, um dos quais em prosa.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2013-12-16

Como Citar

Monte, M. (2013). Pour une conception historicisée et graduelle de la poéticité. L’interaction des dimensions sémantique, énonciative et iconique dans trois poèmes (Sponde, Follain, Bonnefoy). Linha D’Água, 26(2), 109-133. https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v26i2p109-133

Edição

Seção

Artigos originais