A acumulação primitiva no Portugal pré-industrial e o Império Ultramarino Português

debates historiográficos acerca da colonização do Brasil

Autores

  • Mônica da Silva Ribeiro

DOI:

https://doi.org/10.11606/ran.v0i6.88879

Palavras-chave:

Antigo Sistema Colonial, Império Português, Mercantilismo, Centralidade, Liberalidade régia, Autoridades negociadas

Resumo

A tese de Fernando Antonio Novais “Portugal e Brasil na crise do Antigo Sistema Colonial (1777-1808)” possibilitou o surgimento de profícuos debates historiográficos e o desenvolvimento de uma complexa gama de estudos sobre os mais diversos aspectos da colonização brasileira, e sobre a organização política, econômica e social de Portugal na época moderna. Novais, a partir de uma perspectiva marxista, privilegiou questões como a utilização da mão de obra escrava negra, o exclusivo metropolitano, a exploração comercial, a centralização absolutista e o mercantilismo, dentro da lógica do Antigo Sistema Colonial.

Nesse sentido, propondo um alargamento das ideias de Novais, buscaremos estudar esse período por uma ótica imperial, com a constituição do Império Ultramarino Português. E, para tanto, torna-se fundamental analisar conceitos e noções que foram introduzidos ou resignificados, como a questão do centro-periferia; a lógica da “economia” das mercês e da liberalidade régia; e a importância das autoridades negociadas e do poder local, pontos indispensáveis para a discussão, uma vez que podem funcionar como chaves para se desvendar as complexas redes de poder formadas dentro do Império Português. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mônica da Silva Ribeiro

Mestre (2006) e Doutora (2010) em História pela Universidade Federal Fluminense, tendo realizado estágio de doutoramento na Universidade de Lisboa (2008). Documentalista e Pesquisadora da Fundação Biblioteca Nacional, entre 2008 e 2010. Atualmente, é Professora Adjunta de História Moderna e Coordenadora do Curso de Licenciatura em História da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Campus Nova Iguaçu, além de participar de três grupos de pesquisa, reconhecidos pelo CNPq: “Impérios Ibéricos no Antigo Regime: política, sociedade e cultura” (líder), UFV; “Antigo Regime nos Trópicos: Centro de Estudos sobre a Dinâmica Imperial no Mundo Português, séculos XVI-XIX”, UFRJ; e “Identidades, Hierarquias e Mobilidade na América Ibérica”, UFRRJ. Atua nas áreas de História Moderna e História do Brasil Colônia, principalmente nos temas: Império Português; Rio de Janeiro Colonial; Política e Administração na América Portuguesa; Hierarquias e Mobilidade Social.

Downloads

Publicado

2014-09-12

Como Citar

Ribeiro, M. da S. (2014). A acumulação primitiva no Portugal pré-industrial e o Império Ultramarino Português: debates historiográficos acerca da colonização do Brasil. Revista Angelus Novus, (6), 9-36. https://doi.org/10.11606/ran.v0i6.88879

Edição

Seção

Dossiê temático: Perspectivas sobre o Império Português (séculos XVI-XVIII)