"Em defesa da família": ditadura, anticomunismo e racialização na escrita repressiva (1968-1985)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2023.206429

Palavras-chave:

Ditadura militar, Família, Anticomunismo, Racialização, Racismo

Resumo

Amparado em documentos produzidos por agentes repressivos, o artigo demonstra a presença do discurso de “ameaça/defesa da família” durante a ditadura militar no Brasil (1968-1985). Para as comunidades de informação e segurança, a subversão comunista visava destruir a família. O tema esteve inscrito nas fontes de natureza repressiva em diferentes fases da ditadura. A politização da moral se conectava a uma tradição anticomunista e conservadora atualizada por mudanças e novos perigos percebidos naquele contexto. O texto oferece elementos para compreender os pressupostos que orientavam a escrita repressiva, bem como problematiza o modelo de família que era alvo de preocupações dos anticomunistas. Sugere a hipótese da racialização enquanto uma chave interpretativa necessária para analisar criticamente esses discursos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antonio Mauricio Freitas Brito, Universidade Federal da Bahia

Doutor em História pela Universidade Federal da Bahia – UFBA. Professor do Departamento de História e do Programa de Pós-Graduação em História Social da UFBA.

Referências

Referências bibliográficas

Fontes

II EXÉRCITO homenageia FAB com alerta contra o inimigo. Correio da Manhã. Rio de Janeiro, p. 3, 21 out. 1972.

ALBUQUERQUE acusa freiras e padres de desagregarem a família falando de sexo. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 16 out. 1968, Caderno 1, p. 4.

ARQUIVO NACIONAL, COORDENAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL (AN-COREG). Agência Regional de São Paulo, Informação n. 114/SNI/ASP/1970. Brasília, DF: AN-Coreg/Fundo SNI, 1970.

ARQUIVO NACIONAL, COORDENAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL (AN-COREG). BR_AN_BSB_ AA1_ROS_033. Brasília, DF: AN-Coreg, 1973a.

ARQUIVO NACIONAL, COORDENAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL (AN-COREG). BR_AN_BSB_VAZ_080_0131. Ministério da Aeronáutica. Cisa. Brasília, DF: AN-Coreg, 1973b.

ARQUIVO NACIONAL, COORDENAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL (AN-COREG). ASV_ACE_1184_80_Edit. Brasília, DF: AN-Coreg/Fundo SNI, 1980a.

ARQUIVO NACIONAL, COORDENAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL (AN-COREG). APA_ACE_1825_80. Serviço Nacional de Informações. Agência de Porto Alegre. Brasília, DF: AN-Coreg/Fundo SNI, 1980b.

ARQUIVO NACIONAL, COORDENAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL (AN-COREG). APA_ACE_1825_80. Serviço Nacional de Informações. Agência de Porto Alegre. DF: AN-Coreg/Fundo SNI ,1980c.

ARQUIVO NACIONAL, COORDENAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL (AN-COREG). AC_ACE_11429_80. Centro de Informações do Exército. Brasília, DF: AN-Coreg, 1981a.

ARQUIVO NACIONAL, COORDENAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL (AN-COREG). AC_ACE_16587_81. Centro de Informações do Exército. Brasília, DF: AN-Coreg, 1981b.

ARQUIVO NACIONAL, COORDENAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL (AN-COREG). AC_ACE_29295_82. Serviço Nacional de Informações. Brasília, DF: AN-Coreg, 1982a.

ARQUIVO NACIONAL, COORDENAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL (AN-COREG). ASP_ACE_12972_82. Serviço Nacional de Informações. Agência de São Paulo. Brasília, DF: AN-Coreg, 1982b.

ARQUIVO NACIONAL, COORDENAÇÃO REGIONAL DO DISTRITO FEDERAL (AN-COREG). AC_ACE_48089_85. Brasília, DF: AN-Coreg, 1985.

CORONEL revela que química, sexo e cirurgia são usados para doutrinação comunista. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, p. 14, 19 nov. 1975, 1º Caderno.

MURICI aponta aliciamento de jovens para o terror. Jornal do Brasil. Rio de Janeiro, p. 5, 19-20 jul. 1970, 1º Caderno.

ORGIA, subversão e terror degradam a UnB. O Globo. Rio de Janeiro, p. 16, 26 set. 1968.

Referências

ALBERTO, Paulina. Termos de inclusão: intelectuais negros brasileiros no século XX. Campinas, São Paulo: Editora da Unicamp, 2017 [2011].

ALMEIDA, Maria Isabel de Moura. Rompendo os vínculos, os caminhos do divórcio no Brasil: 1951-1977. Tese (Doutorado) – Universidade Federal de Goiás, Faculdade de História, 2010.

ALVES, Amanda Palomo; GIORGI, Maria Cristina. Tony Tornado, racismo e construções discursivas de um corpo negro em tempos de ditadura (1970-1972). Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 12, n. 31, p. 1-39, set./dez. 2020. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180312312020e0203. Acesso em: 14 ago. 2023. Doi: 10.5965/2175180312312020e0203.

ALVES, Iracélli da Cruz. A política no feminino: uma história das mulheres no Partido Comunista do Brasil – Seção Bahia (1942-1949). Dissertação (Mestrado). Universidade Estadual de Feira de Santana, Programa de Pós-Graduação em História, 2015.

ANDERSON, Benedict. Comunidades imaginadas: reflexões sobre a origem e difusão do nacionalismo. São Paulo: Companhia das Letras, 2008 [1983].

BACZKO, Bronislaw. Imaginação social. In: ROMANO, Ruggiero (org.). Enciclopédia Einaudi. Lisboa: Imprensa Nacional, 1984. v. 5, Antropos-Homem.

BARBOSA, Caio Fernandes. Fazendo-os obedecer: moralidade, educação e trabalho nas políticas do IPES para a juventude brasileira durante a guerra fria (1961-1969). Tese (Doutorado em História), PPGH, UFBA, Salvador, 2021.

BRAGHINI, Katya Mitsuko Zuquim. Juventude e pensamento conservador no Brasil. São Paulo: Educ/Fapesp, 2015.

CAMARGO, Ana Maria de Almeida. Os arquivos da polícia política como fonte. Disponível em: https://edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/1987404/mod_resource/content/1/ACamargo_Os_arquivos.pdf. Acesso em: 30 dez. 2019.

CARNEIRO, Henrique. Drogas: a história do proibicionismo. São Paulo: Autonomia Literária, 2018.

CHIRIO, Maud. A política nos quartéis: revoltas e protestos de oficiais na ditadura militar brasileira. Rio de Janeiro: Zahar, 2012.

COIMBRA, Cecilia. Algumas práticas “psi” no Brasil do “milagre”. In: FREIRE, Alípio; ALMADA, Izaías; PONCE, J. A. de Granville (org.). Tiradentes, um presídio da ditadura: memórias de presos políticos. São Paulo: Scipione, 1997.

COMBLIN, Padre Joseph. A ideologia da Segurança Nacional. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1978.

CORRÊA, Mariza. Repensando a família patriarcal brasileira: notas sobre a organização familiar do Brasil. Cad. Pesq., São Paulo, v. 37, p. 5-16, maio 1981. Disponível em: https://publicacoes.fcc.org.br/cp/article/view/1590. Acesso em: 14 ago. 2023.

COWAN, Benjamin. Securing sex: morality and repression in the making of cold war Brazil. North Carolina: The University of North Carolina Press, 2016.

COWAN, Benjamin. Homossexualidade, ideologia e “subversão” no regime militar. In: GREEN, James; QUINALHA, Renan (org.). Ditadura e homossexualidades: repressão, resistência e a busca da verdade. São Carlos: Ed. UFSCAR, 2015.

CRUZ, Tamara Paola dos Santos. As escolas de samba sob vigilância e censura na ditadura militar: memórias e esquecimentos. Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal Fluminense, Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, Niterói, 2010.

D’ARAÚJO, Maria Celina et al. Os anos de chumbo: a memória militar sobre a repressão. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, 1994.

DARNTON, Robert. Poesia e polícia: redes de comunicação na Paris do século XVIII. Tradução Rubens Figueiredo. São Paulo: Companhia das Letras, 2014 [2010].

DUARTE, Ana Rita Fonteles. Homens e mulheres contra o inimigo: a mobilização do gênero pela ditadura militar brasileira (1964-1985). XXVI SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 2011. Disponível em: https://repositorio.ufc.br/handle/riufc/40826. Acesso em: 14 ago. 2023.

DUARTE, Ana Rita Fonteles. Gênero e comportamento a serviço da Ditadura Militar: uma leitura dos escritos da Escola Superior de Guerra. Diálogos, v. 18, n. 1, p. 75-92, enero-abril, 2014. Disponível em: https://www.redalyc.org/pdf/3055/305531755005.pdf. Acesso em: 14 ago. 2023. Doi: 10.4025/dialogos.v18i1.896.

DUARTE, Ana Rita Fonteles. Meios de comunicação, segurança nacional e a defesa da “moral e bons costumes”: uma análise de escritos da Escola Superior de Guerra (1964-1985). Embornal, Fortaleza, v. vi, n. 13, p. 7-21, jan.-jun. 2016. Disponível em: https://eventos.udesc.br/ocs/index.php/STPII/IIISIHTP/paper/. Acesso em: 14 ago. 2023.

FANON, Frantz. Os Condenados da Terra. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1968 [1961].

FARGE, Arlette. O sabor do arquivo. São Paulo: Edusp, 2009 [1989].

FARIA, Daniel. Paisagem de cacos e dores revoltadas: as marginalias da ditadura em livros de uma biblioteca universitária. Revista Tempo e Argumento, Florianópolis, v. 9, n. 21, p. 243‐289, 2017. Disponível em: https://revistas.udesc.br/index.php/tempo/article/view/2175180309212017243. Acesso em: 14 ago. 2023. Doi: https://doi.org/10.5965/2175180309212017243.

FARIA, Vilmar E. Políticas de governo e regulação da fecundidade: conseqüências não antecipadas e efeitos perversos. Ciências Sociais Hoje, São Paulo, Vértice/Anpocs, p. 62-103, 1989.

FICO, Carlos. Como eles agiam: os subterrâneos da Ditadura Militar: espionagem e polícia política. Rio de Janeiro: Record, 2001.

FICO, Carlos. “Prezada Censura”: cartas ao regime militar. Topoi, Rio de Janeiro, v. 5, p. 251-286, 2002. Disponível em: https://www.scielo.br/j/topoi/a/HK5PxXm9dSBk9NKvt7P9kJq/?lang=pt. Acesso em: 14 ago. 2023. Doi: https://doi.org/10.1590/2237-101X003005011.

FICO, Carlos. Espionagem, polícia política, censura e propaganda: os pilares básicos da repressão. In: FERREIRA, Jorge; DELGADO, Lucília (orgs.). O Brasil Republicano: O tempo da ditadura - regime militar e movimentos sociais em fins do século XX. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007.

FILGUEIRAS, Juliana Miranda. A Educação Moral e Cívica e sua produção didática (1969-1993). Dissertação (Mestrado), PUCSP, São Paulo, 2006.

GIRARDET, Raoul. Mitos e mitologias políticas. São Paulo: Companhia das Letras, 1987 [1986].

GOMES SILVA, Tauane Olívia. Mulheres negras nos movimentos de esquerda durante a ditadura no Brasil (1964-1985). Tese (Doutorado em História). Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, PPGH, Florianópolis, 2019.

GONZALEZ, Lélia. Racismo e sexismo na cultura brasileira. Revista Ciências Sociais Hoje, Anpocs, p. 223-244, 1984.

HARTMAN, Saidiya. Vidas rebeldes, belos experimentos: histórias íntimas de meninas negras desordeiras, mulheres encrenqueiras e queers radicais. São Paulo: Fósforo, 2022 [2019].

HOBSBAWM, E. Introdução: a invenção das tradições. In: HOBSBAWM, E.; RANGER, T. (org.). A invenção das tradições. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997 [1983].

KAMINSKI, Leon Frederico. O movimento hippie nasceu em Moscou: imaginário anticomunista, contracultura e repressão no Brasil dos anos 1970. Antíteses, Londrina, v. 9, n. 18, p. 467-493, jul./dez. 2016. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/21076. Acesso em: 14 ago. 2023. Doi: https://doi.org/10.5433/1984-3356.2016v9n18p437.

KÖSSLING, Karin Sant‘ Anna. As lutas anti-racistas de afro-descendentes sob vigilância do DEOPS/SP (1964-1983). Dissertação (Mestrado em História), Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2007.

KURI, Ariel. O lado escuro da lua: o momento conservador em 1968. In: ROLLEMBERG, Denise; QUADRAT, Samantha (org.). A construção social dos regimes autoritários: Brasil e América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

LANGLAND, Victoria. Birth control pills and molotov cocktails. In: JOSEPH, Gilbert; SPENSER, Daniela. From the cold: Latin America’s new encounter with the Cold War. Durham, NC: Duke University Press, 2008.

LANGLAND, Victoria. Transnational connections of the global sixties as seen by a historian of Brazil. In: CHEN, Jian; KLIMKE, Martin; KIRASIROVA, Masha; NOLAN, Mary; YOUNG, Marilyn; WALEY-COHEN, Joanna. The Routledge handbook of the global sixties: between protest and nation-building. Abingdon, UK; New York, NY: Routledge, 2018.

LIMA, Alexandre Siqueira. Primavera nos dentes: desbunde, anticomunismo e repressão na cidade em quadrinhos (1972-1973). Dissertação (Mestrado em História), Universidade de Brasília, Brasília, DF, 2017.

LONGUI, Carla Reis. Cultura e Costumes: um campo em disputa. Antíteses, Londrina, v. 8, p. 197-218, 2015. Disponível em: https://ojs.uel.br/revistas/uel/index.php/antiteses/article/view/21084. Acesso em: 14 ago. 2023. Doi: https://doi.org/10.5433/1984-3356.2015v8n15p197.

MAGALHÃES, Marionilde Brepohl de. A lógica da suspeição: sobre os aparelhos repressivos à época da ditadura militar no Brasil. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 7, n. 34, p. 203-220, 1997. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbh/a/jhG4q3jQsNw7ytcH53C4X6j/. Acesso em: 14 ago. 2023. Doi: https://doi.org/10.1590/S0102-01881997000200011.

MANZANO, Valeria. Sexualizing youth: morality campaigns and representations of youth in early 1960s Buenos Aires. Journal of the History of Sexuality, Austin, TX, v. 14, n. 4, p. 433-461, Oct. 2005. Doi: https://doi.org/10.1353/sex.2006.0041.

MARCELINO, Douglas Attila. Subversivos e pornográficos: censura de livros e diversões públicas nos anos 1970. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional do Ministério da Justiça, 2011.

MARTINS FILHO, João Roberto. Movimento estudantil e ditadura militar no Brasil: 1964-1968. Campinas: Papirus, 1987.

MARTINS FILHO, João Roberto. Os estudantes nas ruas, de Goulart a Collor. In: MARTINS FILHO, João Roberto (org.). 1968 faz 30 anos. Campinas/São Paulo/São Carlos: Mercado de Letras/Fapesp/Editora da Universidade de São Carlos, 1998.

MARTINS FILHO, João Roberto. O Palácio e a Caserna: a dinâmica militar das crises políticas na ditadura (1964-1969). São Paulo: Alameda, 2019.

MOTTA, Rodrigo Patto Sá. Em guarda contra o perigo vermelho: o anticomunismo no Brasil (1917-1964). São Paulo: Perspectiva, 2002.

PEDRETTI, Lucas. Violência de Estado e racismo em dois momentos das lutas e políticas de memória no Brasil. In: TELES, Edson; QUINALHA, Renan (org.). Espectros da Ditadura: da Comissão da Verdade ao bolsonarismo. São Paulo: Autonomia Literária, 2020. v. 1.

PEDRETTI, Lucas. Dançando na mira da ditadura: bailes soul e violência contra a população negra nos anos 1970. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2021. v. 1.

PEDRO, Joana. A experiência com contraceptivos no Brasil: uma questão de geração. Revista Brasileira de História, São Paulo, v. 23, n. 45, p. 239-260, 2003. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rbh/a/CBwFBCqgdprcPL8x53x8bNz/?lang=pt . Acesso em: 14 ago. 2023. Doi: https://doi.org/10.1590/S0102-01882003000100010.

PESTANA, Marco Marques. Remoções de favelas no Rio de Janeiro: empresários, Estado e movimento de favelados: 1957-1973. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2022.

PIRES, Thula Rafaela de Oliveira. Colorindo memórias e redefinindo olhares: ditadura militar e racismo no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Comissão da Verdade do Rio, 2015.

PIRES, Thula Rafaela de Oliveira. Estruturas intocadas: racismo e ditadura no Rio de Janeiro. Revista Direito e Práxis, Rio de Janeiro, v. 9, n. 2, p. 1054-1079, 2018. Disponível em: https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaceaju/article/view/33900. Acesso em: 14 ago. 2023. Doi: https://doi.org/10.1590/2179-8966/2018/33900.

PRESOT, Aline. Celebrando a revolução: as marchas da família com Deus pela liberdade e o golpe de 1964. In: ROLLEMBERG, Denise; QUADRAT, Samantha (org.). A construção social dos regimes autoritários: Brasil e América Latina. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2010.

QUINALHA, Renan. Contra a moral e os bons costumes: a ditadura e a repressão à comunidade LGBT. São Paulo: Companhia das Letras, 2021.

REZENDE, Maria José de. A ditadura militar no Brasil: repressão e pretensão de legitimidade 1964-1984. Londrina: UEL, 2001.

RIOS, Flávia Mateus. Elite política negra no Brasil: Relação entre movimentos sociais, partidos políticos e Estado. Tese (Doutorado em Sociologia), Universidade do Estado de São Paulo, São Paulo, 2014.

RIOS, Valesca Gomes. Em busca do “sadio entretenimento”: o debate sobre o adequado para crianças e jovens brasileiros na televisão (1972-1988). Dissertação (Mestrado), UFC, 2021.

RIDENTI, Marcelo. O fantasma da revolução brasileira. São Paulo: Unesp, 1993.

RODEGHERO, Carla Simone. Religião e patriotismo: o anticomunismo católico nos Estados Unidos e no Brasil nos anos da Guerra Fria. Tese (Doutorado em História), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2002.

RODEGHERO, Carla. O comunismo e outros perigos: memórias sobre o medo entre católicos. História Oral, v. 10, n. 2, p. 91-112, jul.-dez. 2007. Disponível em: https://revista.historiaoral.org.br/index.php/rho/article/view/218. Acesso em: 14 ago. 2023. Doi: https://doi.org/10.51880/ho.v10i2.218.

RUBIN, Gayle. Pensando o sexo: notas para uma teoria radical das políticas da sexualidade. 2012 [1984]. Disponível em: https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/1582/gaylerubin.pdf?sequence. Acesso em: 14 ago. 2023.

SAID, Edward W. Orientalismo: o Oriente como invenção do Ocidente. São Paulo: Companhia das Letras, 1990 [1978].

SAMWAYS, Daniel Trevisan. Inimigos imaginários, sentimentos reais: medo e paranóia no discurso anticomunista do Serviço Nacional de Informações (1970-1973). Tese (Doutorado em História), UFPR, Curitiba, 2014.

SANTANA, Ediane. Campanha de desestabilização de Jango: as ‘donas’ saem às ruas! In: ZACHARIADHES, Grimaldo C. (org.). Ditadura militar na Bahia: novos olhares, novos objetivos, novos horizontes [online]. Salvador: EDUFBA, 2009. v. 1.

SANTOS, Hyago Átilla Sousa dos. O drama da princesa transviada: jornal A Ação, pânico moral e cartografias da identidade ameaçada em Crato (CE), 1965-1972. Dissertação (Mestrado em História), Universidade Federal de Pernambuco, Recife, 2021.

SETEMY, Adrianna Cristina Lopes. Vigilantes da moral e dos bons costumes: condições sociais e culturais para a estruturação política da censura durante a ditadura militar. Topoi, Rio de Janeiro, v. 19, n. 37, p. 171-197, 2018. Doi: https://doi.org/10.1590/2237-101X01903708.

SIMÕES, Solange de D. Deus, Pátria e Família: as mulheres no golpe de 1964. São Paulo: Editora Vozes, 1985.

SIMÕES, Assis Júlio; FACCHINI, Regina. Na trilha do arco-íris: do movimento homossexual ao LGBT. Ed. Fundação Perseu Abramo, 2009.

SLENES, Robert. Na senzala uma flor: esperanças e recordações na formação da família escrava. Brasil Sudeste, século XIX. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999.

SOIHET, Rachel. Condição feminina e formas de violência: mulheres pobres e ordem urbana (1890-1920). Rio de Janeiro: Forense Universitária, 1989.

SOUZA, Sandra Regina Barbosa da Silva. Os sete matizes do rosa ou o mundo contaminado pela radiação comunista: homens vermelhos e inocentes úteis. Tese (Doutorado em História Social), Universidade Federal da Bahia, Salvador, 2009.

STOPPINO, Mario. Poder. In: BOBBIO, Norberto. Dicionário de Política. 11. ed. Brasília: UnB, 1998 [1986].

TODOROV, Tzevetan. A conquista da América. A questão do outro. 2. ed. São Paulo: Ed. Martins Fontes, 1983 [1982].

TROUILLOT, Michel-Rolph. Silenciando o passado: poder e a produção da história. Tradução de Sebastião Nascimento. Curitiba: Huya, 2016 [1995].

VELHO, Gilberto. Individualismo e cultura: notas para uma antropologia da sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Zahar, 1999.

WESTAD, Odd Arne. Was there a “global 1968”? In: CHEN, Jian; KLIMKE, Martin; KIRASIROVA, Masha; NOLAN, Mary; YOUNG, Marilyn; WALEY-COHEN, Joanna. The Routledge handbook of the global sixties: between protest and nation-building. Abingdon, UK; New York, NY: Routledge, 2018.

Downloads

Publicado

2024-01-22

Como Citar

BRITO, A. M. F. "Em defesa da família": ditadura, anticomunismo e racialização na escrita repressiva (1968-1985). Revista de História, [S. l.], n. 182, p. 1-29, 2024. DOI: 10.11606/issn.2316-9141.rh.2023.206429. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/206429. Acesso em: 27 fev. 2024.

Edição

Seção

Artigos