Estação Marítima da Gamboa: entre a expansão ferroviária e os melhoramentos portuários no Rio de Janeiro Imperial (1876-1883)

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9141.rh.2024.213518

Palavras-chave:

Ferrovia, Porto, Império, Rio de Janeiro, Gamboa

Resumo

No momento em que as ferrovias eram expandidas, a navegação a vapor generalizada e o funcionamento dos portos eram questionados em todo o país, dotar o Rio de Janeiro de uma infraestrutura capaz de integrar esses modais se tornou aspiração das classes dominantes. Apenas nesse contexto específico, a ideia de uma Estação Marítima na Corte do Império pôde se concretizar. Não havia precedentes para os esforços e recursos empenhados, tanto do governo imperial quanto da maior empresa brasileira – a Estrada de Ferro Dom Pedro II. Objetivo neste artigo demonstrar a elaboração da Estação Marítima da Gamboa enquanto solução unificada para contemplar mudanças complexas e dirimir problemas de origens distintas, suscitando uma ação avassaladora para a preparação e a execução de sua construção (1876-1883). A investigação foi realizada em fontes governamentais, da empresa e em publicações não relacionadas aos promotores da obra.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Thiago Mantuano, Universidade Estadual de Santa Cruz

    Doutor em História pelo Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal Fluminense (PPGH-UFF) e professor visitante adjunto de História do Atlântico no Programa de Pós-Graduação em História do Departamento de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Estadual de Santa Cruz (PPGH/DFCH-UESC) em Ilhéus/BA/Brasil.

Referências

Fontes

ANNAES BRAZILIENSES DE MEDICINA. Anais. 10-12/1878.

BRASIL. Coleção das Leis do Império do Brasil. Rio de Janeiro: Imp. Nacional, 1891.

BRASIL. Fundação Biblioteca Nacional. Biblioteca Digital Luso-Brasileira. Estrada de Ferro D. Pedro II. Ramal da Gamboa – Estação Marítima da Gamboa. 1881. Autor: Desconhecido. Localização: 36547. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional.

BRASIL. Fundação Biblioteca Nacional. Brasiliana Fotográfica. Estrada de Ferro D. Pedro II. Vistas do Ramal e Estação Marítima da Gambôa. 1879. Autor: Albert Henschel & C. Localização: FPft0187. Rio de Janeiro: Fundação Biblioteca Nacional.

BRASIL. Ministério da Indústria, Viação e Obras Públicas. Estrada de Ferro Dom Pedro II. Planta da Localização Definitiva da Estação Marítima da Gamboa. 1877. Planta. Escala 1:100. Localização: Fundo 4Q; Mapa 0598. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional.

BRASIL. Ministerio dos Negocios da Agricultura, Commercio e Obras Publicas. Proposta e Relatorio. Rio de Janeiro: Typ. Nacional, 1879-1880.

ESTRADA DE FERRO D. PEDRO II. Relatorio do Anno de 1876 Apresentado ao Illm. Exm. Sr. Conselheiro Dr. Thomaz José Coelho de Almeida Ministro e Secretario de Estado dos Negocios da Agricultura, Commercio e Obras Publicas Pelo Engenheiro Francisco Pereira Passos Director da Mesma Estrada. Rio de Janeiro: Typ. Perseverança, 1877.

ESTRADA DE FERRO D. PEDRO II. Relatorio do Anno de 1877 Apresentado ao Illm. Exm. Sr. Conselheiro Dr. Thomaz José Coelho de Almeida Ministro e Secretario de Estado dos Negocios da Agricultura, Commercio e Obras Publicas Pelo Engenheiro Francisco Pereira Passos Director da Mesma Estrada. Rio de Janeiro: Typ. Perseverança, 1878.

ESTRADA DE FERRO D. PEDRO II. Relatorio do Anno de 1878 Apresentado ao Illm. Exm. Sr. Conselheiro Dr. Thomaz José Coelho de Almeida Ministro e Secretario de Estado dos Negocios da Agricultura, Commercio e Obras Publicas Pelo Engenheiro Francisco Pereira Passos Director da Mesma Estrada. Rio de Janeiro: Typ. Nacional, 1879.

ESTRADA DE FERRO D. PEDRO II. Relatorio do Anno de 1879 Apresentado ao Illm. Exm. Sr. Conselheiro Manoel Buarque de Macedo Ministro e Secretario de Estado dos Negocios da Agricultura, Commercio e Obras Publicas Pelo Engenheiro Francisco Pereira Passos Director da Mesma Estrada. Rio de Janeiro: Typ. Nacional, 1880.

ESTRADA DE FERRO D. PEDRO II. Relatorio do Anno de 1880 Apresentado ao Illm. Exm. Sr. Conselheiro Ministro e Secretario de Estado dos Negocios da Agricultura, Commercio e Obras Publicas Pelo Engenheiro Herculano Velloso Ferreira Penna Director da Mesma Estrada. Rio de Janeiro: Typ. Nacional, 1881.

ESTRADA DE FERRO D. PEDRO II. Relatorio do Anno de 1881 Apresentado ao Illm. Exm. Sr. Conselheiro Manoel Alves de Araujo Ministro e Secretario de Estado dos Negocios da Agricultura, Commercio e Obras Publicas Pelo Engenheiro Herculano Velloso Ferreira Penna Director da Mesma Estrada. Rio de Janeiro: Typ. Nacional, 1882.

ESTRADA DE FERRO D. PEDRO II. Relatorio do Anno de 1882 Apresentado ao Illm. Exm. Sr. Conselheiro Henrique D’Avila Ministro e Secretario de Estado dos Negocios da Agricultura, Commercio e Obras Publicas Pelo Engenheiro Herculano Velloso Ferreira Penna Director da Mesma Estrada. Rio de Janeiro: Typ. Nacional, 1883.

ESTRADA DE FERRO D. PEDRO II. Relatorio do Anno de 1883 Apresentado ao Illm. Exm. Sr. Conselheiro Herculano Velloso Ferreira Penna Ministro e Secretario de Estado dos Negocios da Agricultura, Commercio e Obras Publicas Pelo Engenheiro Miguel Noel Nascentes Burnier Director da Mesma Estrada. Rio de Janeiro: Typ. Nacional, 1884.

FIGARO. Jornal. 01/02/1881.

FIGUEIRA, Manuel Fernandes. Memória Histórica da Estrada de Ferro Central do Brasil. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1908.

GAZETA DE NOTÍCIAS. Jornal. 01/06/1879.

JORNAL DO COMMERCIO. Jornal. 23/10/1880; 30/07/1881; 13/08/1882.

O CRUZEIRO. Jornal. 06/01/1878.

REVISTA DE ENGENHARIA. Revista. 10/07/1879; 15/10/1880; 15/01/1881; 15/12/1881; 15/01/1883.

Bibliografia

ABREU, Maurício de Almeida. Evolução Urbana do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 2000.

ALONSO, Angela. Ideias em movimento: a geração de 1870 na crise do Brasil-Império. São Paulo: Paz e Terra, 2002.

CECHIN, José. A construção e operação das ferrovias no Brasil do século XIX. Tese de Doutorado, IFCH, UNICAMP, 1978.

EL-KAREH, Almir Chaiban. Filha branca de mãe preta: a companhia da Estrada de Ferro D. Pedro II, 1855-1865. Petrópolis: Vozes, 1980.

GRANDI, Guilherme. Transportes e planos de viação no Brasil imperial. Revista de História, São Paulo, n. 132, p. 101-124, abril 2022. ISSN 2316-9141. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revusp/article/view/196265. Acesso em: 23 jun. 2023. doi: https://doi.org/10.11606/issn.2316-9036.i132p101-124.

HONORATO, Cezar Teixeira. O polvo e o porto: a Cia. Docas de Santos (1888-1914). São Paulo: Hucitec, 1996.

HONORATO, Cezar Teixeira; MANTUANO, Thiago. O que era o trapiche? O porto e a cidade do Rio de Janeiro no século XIX. Acervo, Rio de Janeiro, v. 28, n. 1, p. 144-158, janeiro-junho 2015. ISSN 2237-8723 Disponível em: https://revista.an.gov.br/index.php/revistaacervo/article/view/596. Acesso em: 23 jun. 2023.

LAMARÃO, Sérgio Tadeu. Dos trapiches ao porto: um estudo sobre a área portuária do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Departamento Geral de Documentação e Informação Cultural/Secretaria Municipal de Cultura e Turismo, 1991.

LAMOUNIER, Maria Lúcia. La expansión ferroviaria en Brasil. In: KUNTZ FICKER, Sandra (org.). Historia Mínima de la expansión ferroviaria en América Latina. México: Colegio de México, 2015.

LANNA, Ana Lúcia Duarte. Ferrovias no Brasil, 1870-1920. História Econômica & História de Empresas, v. 8, n. 1, p. 7-40, janeiro-junho 2005. ISSN 1519-3314. Disponível em: https://www.hehe.org.br/index.php/rabphe/article/view/179. Acesso em: 23 jun. 2023. doi: https://doi.org/10.29182/hehe.v8i1.

LOBO, Eulália. História do Rio de Janeiro: do capital comercial ao capital industrial e financeiro. Rio de Janeiro: IBMEC, 1978.

MANTUANO, Thiago. A construção do porto do Rio de Janeiro: do capital comercial ao capital financeiro e industrial. Tese de Doutorado, IHT, UFF, 2022.

MANTUANO, Thiago. Comendador Antônio Martins Lage: entre a navegação e a operação portuária no século XIX. Dissertação de Mestrado, IHT, UFF, 2017.

MANTUANO, Thiago. A Ilha das Enxadas sob domínio da família Lage (1823 -1882). H-industri@, Buenos Aires, v. 14, n. 26, p. 1-15, janeiro-junho 2020. ISSN 1851-703X. Disponível em: https://ojs.econ.uba.ar/index.php/H-ind/article/view/1769. Acesso em: 23 jun. 2023.

MANTUANO, Thiago. A revolução dos vapores na navegação marítima. História Econômica & História de Empresas, v. 21, n. 2, p. 479-517, julho-dezembro 2018. ISSN 1519-3314. Disponível em: https://www.hehe.org.br/index.php/rabphe/article/view/574. Acesso em: 23 jun. 2023. doi: https://doi.org/10.29182/hehe.v21i2.574.

MANTUANO, Thiago. Os melhoramentos portuários no Atlântico oitocentista. Revista do Instituto Histórico e Geographico Brazileiro, Rio de Janeiro, v. 486, p. 163-188, maio-agosto 2021. ISSN 0101-4366. Disponível em: https://www.ihgb.org.br/revista-eletronica/artigos-do-rihgb-486/item/108734-os-melhoramentos-portuarios-no-atlantico-oitocentista.html. Acesso em: 23 jun. 2023.

MARINHO, Pedro. Companhia Estrada de Ferro D. Pedro II: a grande escola prática da nascente Engenharia Civil no Brasil oitocentista. Topoi (Online): Revista de História, v. 16, n. 30, p. 203-233, junho 2015. ISSN 1518-3319. Disponível em: https://www.scielo.br/j/topoi/a/tnbZc4Fmrft6BvLLNZcjYsf/?lang=pt. Acesso em: 23 jun. 2023. doi: https://doi.org/10.1590/2237-101X016030008.

MARQUESE, Rafael; SALLES, Ricardo (org.). Escravidão e capitalismo histórico no século XIX: Cuba, Brasil, Estados-Unidos. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

MATHIAS, Herculano Gomes. Comércio: 173 anos de desenvolvimento – história da Associação Comercial do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1993.

MOURA, Ana Maria da Silva. Cocheiros e carroceiros: homens livres no rio de senhores e escravos. São Paulo: Hucitec, 1988.

NATAL, Jorge Luiz Alves. Transporte, ocupação do espaço e desenvolvimento capitalista no Brasil: história e perspectivas. Tese de doutorado, IE, UNICAMP, 1991.

PAULA, Dilma Andrade de. 154 anos de ferrovias no Brasil: para onde caminha esse trem? História Revista, Goiânia, v. 13, n. 1, p. 45-69, janeiro-junho 2009. ISSN 1984-4530. Disponível em: https://revistas.ufg.br/historia/article/view/5413. Acesso em: 23 jun. 2023. doi: https://doi.org/10.5216/hr.v13i1.5413.

SAES, Flávio Azevedo Marques. As ferrovias de São Paulo: 1870-1940. São Paulo: Hucitec, 1981.

SALLES, Ricardo. O Império do Brasil no contexto do século XIX. Escravidão nacional, classe senhorial e intelectuais na formação do Estado. Almanack, v. 4, 2012, p. 5-45.

SILVA, Maria Laís Pereira. Os transportes coletivos na cidade do Rio de Janeiro: tensões e conflitos. Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura, Turismo e Esportes do Rio de Janeiro/Divisão de Editoração, 1992.

SUMMERHILL, William. Railroads and the Brazilian Economy before 1914. Business and Economic History, v. 26, n. 2, p. 318-322, 1997. ISSN 0022-0507.

TERRA, Paulo Cruz. Cidadania e trabalhadores: cocheiros e carroceiros no Rio de Janeiro (1870-1906). Rio de Janeiro: Secretaria Municipal de Cultura/Arquivo Geral da Cidade do Rio de Janeiro, 2013.

TOPIK, Steven. A presença do estado na economia política do Brasil: 1889-1930. Rio de Janeiro: Record, 1987.

Foto histórica

Downloads

Publicado

2024-05-06

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

MANTUANO, Thiago. Estação Marítima da Gamboa: entre a expansão ferroviária e os melhoramentos portuários no Rio de Janeiro Imperial (1876-1883). Revista de História, São Paulo, n. 183, p. 1–36, 2024. DOI: 10.11606/issn.2316-9141.rh.2024.213518. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revhistoria/article/view/213518.. Acesso em: 25 jun. 2024.