Acoplamento estrutural turístico: um estudo sobre a estrutura estética de publicações em ambiências digitais a partir da semiótica peirceana

Autores

  • Moabe Breno Ferreira Costa Universidade Federal do Rio Grande do Norte
  • Maria Lúcia Bastos Alves Universidade Federal do Rio Grande do Norte

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v32i2p205-226

Palavras-chave:

Ambiências digitais, Publicações turísticas, Estrutura estética, Semiótica peirceana, Comunicação turística

Resumo

O artigo problematiza procedimentos e técnicas que definem especificidades de publicações que representam a comunicação turística na fanpage da Prefeitura Municipal de Salvador, com objetivo de analisar a estrutura estética dessas publicações. Para isso, são aplicadas as categorias triádicas da semiótica peirceana, que constituem um processo sistemático de investigação, por meio da fragmentação e delimitação dos componentes do objeto de análise, identificando possíveis sentidos por ele produzidos. O procedimento operacional envolve monitoramento da fanpage, seleção de postagens turísticas, revisão de literatura e a análise pretendida. Assim, o artigo contribui com a aplicação da semiótica peirceana ao estudo do turismo e com a delimitação de um padrão estético para postagens turísticas em ambiências digitais, construído pela associação simbiótica e sincrética de aspectos das áreas de programação de mídia – jornalismo, publicidade e entretenimento. Denominada acoplamento estrutural turístico, a estrutura potencializa interatividades, estimula debates sobre a cultura turística e constrói fronteiras entre turismo e cotidiano, podendo gerar processos educativos e de empoderamento dos usuários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Moabe Breno Ferreira Costa, Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Pós-doutorando no Programa de Pós-Graduação em Turismo da Escola de Artes, Ciências e Humanidades da Universidade de São Paulo (PPGTUR-EACH-USP). Docente temporário do Departamento de Lazer e Turismo da EACH-USP. Doutor em Turismo (UFRN).

Maria Lúcia Bastos Alves , Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Pós-doutora em Sociologia pela Roehampton University. Londres, Inglaterra. Professora Titular da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) nos Programas de Graduação e Pós-Graduação em Ciências Sociais e de Pós-Graduação em Turismo.

Referências

Albuquerque, M. C. B. & Oliveira, S. A. (2020). A construção social da identidade turística. Revista Turismo em Análise. V 1, n. 3, pp. 435-454, set/dez. https://www.revistas.usp.br/rta/article/view/172371

Bolzán, R. & Mendes-Filho, L. (2021). Co-creación de valor online entre consumidores en turismo: un estudio en comunidades de Facebook. Turismo y Sociedad, xxviii, pp. 133-149. DOI: https://doi.org/10.18601/01207555. n28.07

Bourdieu, P. (1998). O poder simbólico. 4 ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil.

Chias, Josep. (2007). Turismo o negócio da felicidade. Desenvolvimento e marketing turístico de países, regiões, lugares e cidades. São Paulo: Senac São Paulo.

Cooper, C., Hall C. M., & Trigo, L. G. G. (2011). Turismo contemporâneo. Rio de Janeiro: Elsevier.

Costa, M. B. F., & Alves, M. L. B. (2019). Memórias de Residentes a Partir da Fanpage da Prefeitura do Salvador-BA: reflexão sobre a gestão da comunicação turística. Revista Turismo em Análise. v. 30, n. 3, p. 461-479, set./dez., 2019. https://www.revistas.usp.br/rta/article/view/160369 /

Covaleski, R. (2010). Publicidade híbrida. Curitiba: Maxi Editora.

Culler, J. (1984). The Semiotics of Tourism. University of Oklahoma Press. http://web.mit.edu/allanmc/www/culler1.pdf/.

Fanpage da Prefeitura Municipal de Salvador. (2017b). Intervenções no farol da Barra. https://www.facebook.com/prefeituradesalvador/. Publicado em 26 de dezembro. Acesso em janeiro de 2020.

Fanpage da Prefeitura Municipal de Salvador. (2018c). Programação do final de semana. https://www.facebook.com/prefeituradesalvador/. Publicado em 19 de janeiro. Acesso em janeiro de 2020.

Fanpage da Prefeitura Municipal de Salvador. (2018d). Autoestima da mulher. https://www.facebook.com/prefeituradesalvador/. Publicado em 12 de janeiro. Acesso em janeiro de 2020.

Fanpage Prefeitura Municipal de Salvador. (2017a). Início do Verão. https://www.facebook.com/prefeituradesalvador/. Publicado em 21 de dezembro. Acesso em janeiro de 2020.

Fanpage Prefeitura Municipal de Salvador. (2018a). Aquele pôr do sol com os ‘migos’. https://www.facebook.com/prefeituradesalvador/. Publicado em 18 de janeiro. Acesso em janeiro de 2020.

Fanpage Prefeitura Municipal de Salvador. (2018b). Operação praia limpa. https://www.facebook.com/prefeituradesalvador/. Publicado em 19 de janeiro. Acesso em janeiro de 2020.

Freud, S. (2003). Além do princípio do prazer. Rio de Janeiro: Imago.

Heller, E. (2013). A psicologia das cores: como as cores afetam a emoção e a razão. São Paulo: Gustavo Gili.

Jenkins, H. (2014). Cultura da Conexão. Criando Valor e significado por meio da mídia propagável. São Paulo: Aleph.

Lam, J. M. S., Ismail, H. & Lee, S. (2020). From desktop to destination: User-generated content platforms, co-created online experiences, destination image and satisfaction. Journal of Destination Marketing & Management. 18 (2020) 100490, september. www.elsevier.com/locate/jdmm/

Lipovetsky, G. & Serroy, J. (2015). A estetização do mundo. Viver na era do capitalismo artista. São Paulo: Companhia das Letras.

Lipovetsky, G. (2000). Sedução, publicidade e pós-modernidade. Famecos, v. 1, n. 12, p.7-13, jun. Semestral.

Liu, Z., & Park, S. (2015). What makes a useful online review? Implication for travel product websites. Tourism Management. 2015, p. 140-151. www.elsevier.com/locate/tourman/

Luhmann, N. (2005). A realidade dos meios de comunicação. São Paulo: Paulus.

Maccannell, D. (2003). El Turista: una nueva teoría de la classe ociosa. Cd. Melusina, Barcelona.

Maldonado, Tomás. (2007). Memoria e conocimiento. Sobe los destinos del saber em la pespectiva digital. Barcelona: Gedisa, S. A.

Marcuse, Herbert. (2013). Eros e civilização. Uma interpretação filosófica do pensamento de Freud. 8 ed. Rio de Janeiro, LCT.

Mello, C. M. (2019). Semiótica do turismo aplicada. Curitiba: Appris.

Mello, C. M., & Panosso Netto, A. (2020). ‘Air France, France is in the air’ Una mirada desde la semiótica del turismo sobre la expresión de hospitalidad de la marca. Estudios y Perspectivas en Turismo - Volumen 29 pp.426 – 449

Mendes Filho, L., Mills, A. M., Tan, F. B. & Milne, S. (2017). Empowering the traveler: an examination of the impact of user-generated content on travel planning. Journal of Travel & Tourism Marketing. http://dx.doi.org/10.1080/10548408.2017.1358237/.

Mittermayer, T. & Santaella, L. (2014). Dialogismo no Facebook. In: Santaella, Lúcia. Sóciotramas. Estudos multitemáticos sobre redes digitais. São Paulo: Estação das Letras e Cores. p. 91-100.

Panosso Netto, A. & Nechar, M. C. (2014). Epistemologia do Turismo: escolas teóricas e propostas críticas. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. São Paulo, 8(1), jan./mar. pp. 120-14.

Paraskevaidis, P. & Weidenfeld, A. (2020) Perceived and projected authenticity of visitor attractions as signs: a peircean semiotic analysis. Journal of Destination Marketing & Management. 19, 100515, november. www.elsevier.com/locate/jdmm/

Peirce, C. S. (2005). Semiótica. 3 Ed. São Paulo: Perspectiva.

Ribeiro, J. C. & Souza, P. V. (2012). Internet, mobilidade e espaço. Tecendo relações entre o turismo e serviços baseados em localização. Turis Nostrum. 1(1). http://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/tn/article/view/13617/.

Santaella, L. (2004a). A teoria geral dos signos: como as linguagens significam as coisas. São Paulo: Pioneira, Thomson Learning.

Santaella, L. (2004b). O método anticartesiano de C. S. Peirce. São Paulo: UNESP.

Santaella, L. (2005) Matrizes da linguagem do pensamento: sonora, visual, verbal. 3ª ed. São Paulo, Iluminuras: Fapesp.

Silva, G. (2014). Para pensar Critérios de noticiabilidade. In: Silva, G. Silva, Marcos Paulo & Fernandes. Critérios de noticiabilidade. Problemas conceituais e aplicações. Florianópolis: Insular.

Sodré, M. (1996). Reinventando a cultura. A comunicação e seus produtos. 4 ed. Petrópolis: Vozes.

Spadaro, A. (2013). WEB 2.0. Redes sociais. São Paulo: Paullinas.

Thomaz, G. M., Biz, A. A., Bettoni, E. M., & Pavan, C. S. (2015). Modelo de monitoreo de las redes sociales para orientar en la toma de decisiones de las Destination Management Organizations. Revista Brasileira de Pesquisa em Turismo. São Paulo, v. 9, n.2, p. 196-220, maio/ago. https://rbtur.org.br/rbtur/article/view/835/672.

Downloads

Publicado

2021-08-31

Como Citar

Costa, M. B. F. ., & Alves , M. L. B. (2021). Acoplamento estrutural turístico: um estudo sobre a estrutura estética de publicações em ambiências digitais a partir da semiótica peirceana. Revista Turismo Em Análise, 32(2), 205-226. https://doi.org/10.11606/issn.1984-4867.v32i2p205-226

Edição

Seção

Artigos e Ensaios