O Grande sertão nas ruínas da sala de aula: formação histórica periférica e experiência social subjetiva – um diário de trabalho

Autores

  • Ivan Delmanto Universidade de São Paulo

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v18i1p109-125

Palavras-chave:

pedagogia, performance, processo criativo

Resumo

Este artigo tem como objeto o processo de criação do espetáculo teatral Grande sertão Grajaú: veredas e ruínas. Investiga as tensas relações entre forma teatral, abordada em suas diversas e contraditórias dramaturgias, e subjetividade. Esse processo de criação tomou como pressuposto a ideia de “formação”, inspirada na obra de Antonio Candido, Formação da literatura brasileira, que define, no campo das letras nacionais, a ambivalência característica do nosso processo de constituição cultural, marcado pelo empréstimo de formas artísticas importadas em desajuste com a realidade histórica local. Procuraremos identificar diversas manifestações de uma certa “dialética trágica” que, não obstante sua diversidade, poderia caracterizar esse processo de formação como capaz de gerar experiências sociais subjetivas tão dilaceradas quanto o seu tecido social correspondente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ivan Delmanto, Universidade de São Paulo

Doutorando em Teoria e História do Teatro na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP)

Referências

ARANTES, Paulo Eduardo. Sentimento da Dialética. São Paulo: Paz e Terra, 1992.

LACAN, Jaques. Escritos. São Paulo: Zahar, 1999.

OLIVEIRA, Francisco de. Crítica à razão dualista. O ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.

ROSA, João Guimarães.Grande sertão:veredas. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2001.

SZONDI, Peter. Ensaio sobre o trágico. São Paulo: Zahar, 2004.

VIANNA FILHO, Os Azeredo mais os Benevides, Rio de Janeiro: MEC/SNT, 1968.

ZIZEK, Slavoj. Viver no fim dos tempos. Lisboa: Relógio d’água, 2011.

________ Órganos sin cuerpo. Valencia: Pre-textos, 2006.

Downloads

Publicado

2018-06-30

Como Citar

Delmanto, I. (2018). O Grande sertão nas ruínas da sala de aula: formação histórica periférica e experiência social subjetiva – um diário de trabalho. Sala Preta, 18(1), 109-125. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v18i1p109-125

Edição

Seção

BRASIL