Desnorteando referências: pensamentos (pós)/(des)/(de)colonial na formação do artista da cena

Autores

  • Mariana Conde Rhormens Lopes Universidade Estadual de Campinas

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v22i2p30-55

Palavras-chave:

Decolonialismo, Interculturalidade crítica, Epistemologias decoloniais

Resumo

Este artigo discute os conceitos colonialismo, colonialidade, pós-colonialismo, descolonialismo e decolonialismo, discorrendo sobre suas origens, histórias, correntes, principais semelhanças e diferenças. Para tal discussão traz pensamentos de Catherine Walsh, Mudimbe, Wole Soyinka, Walter Mignolo, Aníbal Quijano, Edward Saïd e Steven Feierman. Aprofundando o debate, põe em xeque questões sobre generalizações, contradições, acesso direcionado a pesquisas culturais, favoritismos e interculturalidade crítica. Reflete sobre como tais conceitos dialogam com a formação e referências especialmente nos cursos superiores de artes da cena, trazendo provocações e problemáticas ao leitor. Traz reflexões com o termo “desnortear”, propondo alterar as referências durante anos pautadas em experiências, histórias e saberes do Norte Global.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Mariana Conde Rhormens Lopes, Universidade Estadual de Campinas

Atriz, mestra e doutora em Artes da Cena pela UNICAMP. Realizou trabalho em Moçambique e no Senegal (École des Sables). Atriz cofundadora do Grupo Desembargadores do Furgão, que trabalha com máscaras teatrais. Dirigiu o documentário Ka Mimbangu – A cena moçambicana: entre tradição e contemporaneidade. Flautista do grupo musical Samba de Dandara.

Referências

BALLESTRIN, L. M. A. Modernidade/Colonialidade sem “Imperialidade”? O Elo Perdido do Giro Decolonial. Revista de Ciências Sociais, Rio de Janeiro, v. 60, n. 2, 2017. DOI: 10.1590/001152582017127

BELÉM, E. Notas sobre o teatro brasileiro: uma perspectiva descolonial. Sala Preta, São Paulo, v. 16, n. 1, 2016. DOI: 10.11606/issn.2238-3867.v16i1p120-131

CANDAU, V. M. F.; OLIVEIRA, L. F. Pedagogia Decolonial e educação antirracista e intercultural no Brasil. Educação em Revista, Belo Horizonte, v. 26, n. 1, p. 15-40, abr. 2010. DOI: 10.1590/S0102-46982010000100002

COSTA, A. A arte e artistas em Moçambique: diferentes gerações e modernidades. Maputo: Marimbique, 2014.

DUARTE, M. F. Achille Mbembe e o que herdamos do Colonialismo e do Imperialismo Ocidentais. Comunidade Cultura e Arte, [s. l.], 2017. Disponível em: https://bit.ly/3PWZumS. Acesso em: 23 maio 2020.

FEIERMAN, S. African histories and the dissolution of world history [Histórias africanas e a dissolução da história mundial]. In: BATES, R. H.; MUDIMBR, V. Y.; O’BARR, J. (ed.). Africa and the disciplines: the contribuitions of research in Africa to the Social Sciences and Humanities. Chicago: University of Chicago Press, 1993. p. 167-212. Tradução para curso de História da África por Cristina Wissencach.

GASPARETTO, T. D. Não indígenas mas não iguais: a política de assimilação portuguesa em Moçambique – 1895-1961. 2013. Trabalho de Conclusão de Curso – Universidade Tuiuti do Paraná, Curitiba, 2013.

MBEMBE, A. A crítica da razão negra. Tradução de Marta Lança. Lisboa: Antígona Editores Refractários, 2014.

MBEMBE, A. As formas africanas de auto-inscrição. Estudos Afroasiáticos, Rio de Janeiro, v. 23, n. 1, jan./jun. 2001. DOI: 10.1590/S0101-546X2001000100007

MIGNOLO, W. D. Colonialidade: o lado mais escuro da modernidade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, São Paulo, v. 32, n. 94, 2017. DOI: 10.17666/329402/2017

MUDIMBE, V. Y. A invenção de África: gnose, filosofia e a ordem do conhecimento. Mangualde; Luanda: Pedago; Mulemba, 2013.

REIS, E. L. L. Pós-colonialismo, identidade e mestiçagem cultural: a literatura de Wole Soyinka. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2011.

ROSA, A. Pedagoginga, autonomia e mocambagem. São Paulo: Pólen, 2019.

SILVA, L. Corpo em diáspora: colonialidade, pedagogia de dança e técnica Germaine Acogny. 2017. Tese (Doutorado em Artes da Cena) – Instituto de Artes, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2017.

WALSH, C. Interculturalidad, Estado, sociedad: luchas (de)coloniales de nuestra época. Quito: Universidad Andina Simón Bolívar; Abya-Yala, 2009.

WEBER, P. M. A África de Valentim Mudimbe e o desconstruir de uma ordem do conhecimento. Revista Anos 90, Porto Alegre, v. 21, n. 40, dez. 2014. DOI: 10.22456/1983-201X.49228

Downloads

Publicado

2023-09-21

Como Citar

Lopes, M. C. R. (2023). Desnorteando referências: pensamentos (pós)/(des)/(de)colonial na formação do artista da cena. Sala Preta, 22(2), 30-55. https://doi.org/10.11606/issn.2238-3867.v22i2p30-55

Edição

Seção

ARTIGOS