Potenciais interações medicamentosas em um serviço de urgência psiquiátrica de um hospital geral

análise das primeiras vinte e quatro horas

Autores

  • Luisa Parra Oliveira Universidade Federal de Uberlândia
  • Karine Santana de Azevedo Zago Universidade Federal de Uberlândia; Faculdade de Medicina
  • Sheylla Bezerra Aguiar Hospital Municipal de Uberlândia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.v11i4p190-198

Palavras-chave:

Interações de Medicamentos; Psicotrópicos; Serviços de Saúde de Emergência

Resumo

O objetivo do estudo foi levantar as possíveis duplas de interações medicamentosas administradas no mesmo horário, em um serviço de urgência psiquiátrica de um hospital geral, durante as primeiras vinte e quatro horas de atendimento. Trata-se de um estudo descritivo, exploratório, documental, retrospectivo e de caráter quantitativo. A população refere-se aos prontuários de pacientes atendidos no PS HCU-UFU, na especialidade de psiquiatria, durante o ano de 2012. Selecionaram-se 725 prontuários de pacientes que buscaram o pronto-socorro do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia no ano de 2012. As possíveis interações medicamentosas foram analisadas a partir do cruzamento dos fármacos nas bases de dados Drugs® e Micromedex®. A interação mais frequente nos prontuários analisados foi de Haloperidol + Prometazina, totalizando 17,7% de todas as 1.537 duplas de medicamentos administrados no mesmo horário, no período pesquisado. A base de dados Drugs® informou que, do total de duplas administradas no período, 559 (36%) apresentaram possibilidade de interação e 978 (64%) não apresentaram indícios de risco de interação. O Micromedex® evidenciou que, em 329 (21%) das duplas de medicamentos administrados houve algum tipo de interação medicamentosa, mas em 1.208 (79%) duplas não foi encontrada qualquer possibilidade de interação. A classe de medicamentos das possíveis interações que predominou foram os Benzodiazepínicos + Antipsicóticos, associação comumente utilizada nas emergências psiquiátricas, alertando para a necessidade de monitoramento dos possíveis efeitos adversos destes medicamentos. A partir dos achados, elaborou-se um quadro com os principais cuidados de potenciais interações entre medicamentos utilizados na urgência psiquiátrica.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2015-12-01

Como Citar

Oliveira, L. P., Zago, K. S. de A., & Aguiar, S. B. (2015). Potenciais interações medicamentosas em um serviço de urgência psiquiátrica de um hospital geral: análise das primeiras vinte e quatro horas. SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool E Drogas (Edição Em Português), 11(4), 190-198. https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.v11i4p190-198

Edição

Seção

Artigo Original de Chamada