Transtornos mentais comuns e Síndrome de Burnout entre profissionais de colégio universitário

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2022.174476

Palavras-chave:

Saúde do Trabalhador, Síndrome de Burnout, Enfermagem do Trabalho, Transtornos Mentais

Resumo

Objetivo: descrever a suspeição da Síndrome de Burnout e os Transtornos Mentais Comuns entre profissionais de colégio universitário. Método: estudo epidemiológico de desenho seccional, descritivo. Compararam-se grupos em busca da associação estatística e modelos de regressão logística foram aplicados. Participaram 106 trabalhadores da educação. O instrumento produzido continha as escalas adaptadas e validadas, como a Maslach Burnout Inventory (MBI), para a aferição das dimensões da Síndrome de Burnout e a versão reduzida do Self Reporting Questionnaire (SRQ-20) para mensurar o nível de suspeição de transtorno mental comum. Resultados: a suspeição de Transtornos Mentais Comuns entre os trabalhadores da amostra estudada foi de 22,6%. Observou-se a associação entre ser jovem, sexo feminino, pensar no trabalho durante as folgas ou em abandonar o trabalho, sedentarismo e duas dimensões de Burnout, sendo elas a despersonalização e a exaustão emocional. Conclusão: pôde-se elucidar a prevalência de TMC e SB na amostra estudada, levando-se em consideração os hábitos de vida e a qualidade da saúde mental de professores e demais funcionários, contribuindo-se, assim, para a reflexão sobre a qualidade de vida do trabalhador. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jorge Luiz Lima da Silva, Universidade Federal Fluminense, Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, RJ, Brasil.

Graduação em Enfermagem e Licenciatura pela Universidade Federal Fluminense (Uff-2004). Pós-graduação em Formação Pedagógica p/ Área da Saúde (2005) e Ativação de Processos de Mudança, na Formação Superior em Saúde (Ensp/Fiocruz-2006). Mestrado em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio-2007) - desenvolveu estudo epidemiológico, na área de saúde mental do trabalhador, em parceria com a Fiocruz. Doutorado em Ciências área Saúde Pública (Ensp/ Fiocruz, 2015). Tese: "Aspectos Psicossociais, Estresse e Síndrome de Burnout entre trabalhadores de Enfermagem Intensivistas". Estágio de Pós-Doutorado, no Programa de Saúde Pública e Meio Ambiente (Ensp/Fiocruz 2019). Atualmente, é professor de Saúde Coletiva, Políticas Públicas e Metodologia Científica, em cursos de graduação e pós-graduação. Lotado no depto. Materno-Infantil e Psiquiatria - Uff. Professor colaborador do Mestrado em Saúde Coletiva-Uff. Áreas de pesquisa: saúde do trabalhador; promoção da saúde; epidemiologia e saúde Mental. 

Mayara Souza Monnerat, Universidade Federal Fluminense, Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, RJ, Brasil.

Graduação em Enfermagem e Licenciatura pela Universidade Federal Fluminense (Uff-2019).

Larissa Murta Abreu, Universidade Federal Fluminense, Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, RJ, Brasil.

Graduanda em enfermagem pela Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa da Universidade Federal Fluminense. Atuou na função de monitora da disciplina de Fundamentos de Enfermagem vinculada ao Departamento de Fundamentos de Enfermagem e Administração no ano de 2019. Desenvolveu o projeto "o jogo de tabuleiro como recurso didático no ensino da imunização" como estratégia de ensino para o programa de monitoria.

Ana Luísa de Oliveira Lima, Universidade Federal Fluminense, Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, RJ, Brasil.

Graduanda em enfermagem pela Universidade Federal Fluminense. 

Cláudia Maria Messias, Universidade Federal Fluminense, Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, RJ, Brasil.

Pós Doutora Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa-EEAC/UFF,Doutora em Enfermagem da Escola de Enfermagem Anna Nery-UFRJ, Mestre em Enfermagem pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO . Possui Especialização em Centro Cirúrgico, Enfermagem Obstétrica; Docência do Ensino Superior, MBA em Gestão Avançada em Sistema de Saúde e Docência na Saúde. Graduada em Enfermagem e Obstetricia pela Faculdade de Enfermagem e Obstetricia de Barra Mansa - RJ. Atua como avaliadora Ad-Hoc de periódicos científicos na área de Enfermagem e Educação É membro da Red Iberoamericana de Investigación en Educación en Enfermería (RIIEE), vinculada à Organização Pan-Americana da Saúde (OPS). É coordenadora da RIIEE Rio de Janeiro. Membro do Grupo de pesquisa GEPI-LabQualiSeg-Segurança do paciente, Tecnologias e Gestão do cuidado seguro- Segurança do paciente em maternidade, membro do Grupo de Tecnologia de Informação e Comunicação nos processos de Educação em Saúde/CNPq e do Grupo Prática Pedagógica no Ensino Superior de Enfermagem e no cuidado à saúde do Adulto/PRAPEC/EEUSP. Membro efetivo do do Núcleo de Pesquisa em Trabalho, Saúde e Educação/NUPETSE/ UFF. Professor permanente do Mestrado Profissional Ensino na Saúde (MPES) na linha de pesquisa Educação Permanente em Saúde. Atualmente é professor adjunto da Universidade Federal Fluminense/ EEAAC-UFF, Departamento Materno Infantil e Psiquiatrica atuando principalmente nos seguintes temas: Consulta de Enfermagem, Ensino, Educação Permanente, Tecnologias na Saúde da Mulher e Segurança do paciente em maternidade.

Giulia Lemos de Almeida, Universidade Federal Fluminense, Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa, Niterói, RJ, Brasil.

Graduanda em enfermagem pela Universidade Federal Fluminense. 

Referências

1- Freitas CR, Cruz RM. Saúde e trabalho docente. In: XXVIII Encontro Nacional de Engenharia de Produção. A integração de cadeias produtivas com a abordagem da manufatura sustentável. 2008, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro, 2008. p. 2-15.

2- Vieira AS, Quintanilha JAC, Souza CM, Campos MS, Ribeiro AC. As condições de trabalho do professor e os seus efeitos sobre sua saúde. In: X Congresso Nacional de Educação – EDUCERE; I Seminário internacional de representações sociais, subjetividade e educação – SIRSSE., 2011, Curitiba. Anais [...]. Curitiba: PUC Paraná, 2011. p. 2472-81.

3- Trindade MA, Morcerf CCP, Oliveira MS. Saúde mental do professor: uma revisão de literatura com relato de experiência. Conecte-se! R. Interdisciplinar Exten. [Internet] v. 2, n. 4, p. 42-59, 2018 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://periodicos.pucminas.br/index.php/conecte-se/article/view/17609>.

4- Coelho JAPM, Souza GHS de, Cerqueira CLC de, Esteves GGL, Barros BNR. Estresse como preditor da Síndrome de Burnout em bancários. R. Psicol., Organ. Trab. [Internet] v.18, n. 1, p. 306-315, 2018 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1984-66572018000100005>.

5- Vasconcelos MO. Trabalho, o homem e a sociedade: uma reflexão filosófica a partir de Alceu Amoroso Lima. Ágora filosófica. [Internet] n. 2, p. 191- 213, 2011 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://www.unicap.br/ojs/index.php/agora/article/view/157>.

6- Guerreiro, NP, Nunes EFPA, Gonzalez AD, Mesas AE. Perfil sociodemográfico, condições e cargas de trabalho de professores da rede estadual de ensino de um município da região do sul do Brasil. Trab. ed. Saúde. [Internet] v.14, supl.1, p.197-217, 2016 [acesso 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1981-77462016000400197&script=sci_abstract&tlng=p>.

7- Weber LND, Leite CR, Staslak GR, Santos CAS, Forteski R. O estresse no trabalho do professor. Imagens Educ. [Internet] v. 5, n. 3, p. 40-52, 2015 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://www.periodicos.uem.br/ojs/index.php/ImagensEduc/article/view/25789>.

8- Leão LHC, Gomez CM. A questão da saúde mental na vigilância em saúde do trabalhador. Ci. e saúde colet. [Internet] v. 19, n. 12, p. 4649-58, 2014 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232014001204649&script=sci_abstract&tlng=pt>. Acesso em: 05 ago. 2020.

9- Murcho N, Pacheco E, Jesus SN. Transtornos mentais comuns nos Cuidados de Saúde Primários: um estudo de revisão. R. Port. Enferm. Saúde Ment. [Internet] n. 15, p. 30-36, 2016 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1647-21602016000100005>.

10- Parreira BDM, Goulart BF, Haas VJ, Silva SR da, Monteiro JCS, Gomes-Sponholz FA. Transtorno mental comum e fatores associados: estudo com mulheres de uma área rural. R. Esc. Enferm. USP. [Internet] v. 51, p. 01-08, 2017 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0080-62342017000100423&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>.

11- Castro FG, Zanelli, JC. Síndrome de burnout e projeto de ser. Cad. psicol. soc. trab. [Internet] v.10, n.2, P. 17-33, 2007 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/cpst/v10n2/v10n2a03.pdf>.

12- Dias FM, Santos JFC, Abelha L, Lovisi GM. O estresse ocupacional e a síndrome do esgotamento profissional (burnout) em trabalhadores da indústria do petróleo: uma revisão sistemática. R. Bras. Saúde Ocup. [Internet] v. 41, n.11, 2016 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S0303-76572016000100401&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>.

13- Pêgo FPL, Pêgo DR. Síndrome de Burnout. R. Bras. Med. Trab. [Internet] v. 14, n. 2, p. 171-6, 2016 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.rbmt.org.br/details/46/pt-BR/sindrome-de-burnout>.

14- Moreira, ASG, Santino TA, Tomaz AF. Qualidade de Vida de Professores do Ensino Fundamental de urna Escola da Rede Pública. Ci. Trab. [Internet] v.19, n.58, 2017 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://scielo.conicyt.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0718-24492017000100020>.

15- Guirado GMP. Transtornos Mentais Comuns e suas Peculiaridades com o Trabalho. R. Saúde Foco. [Internet] n. 9, p. 162-170, 2017 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.gmpgconsultoria.com/assets/site-gmpg/_custom/docs/publicacoes/Transtornos%20Mentais%20Comuns%20e%20o%20Trabalho%202017.pdf>.

16- Diehl L, Marin AH. Adoecimento mental em professores brasileiros: revisão sistemática da literatura. Est. Inter. Psicol. [Internet] v. 7, n. 2, p. 64-85, 2016 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S2236-64072016000200005>.

17- Silva JLL da, Soares RSS, Costa FS, Ramos DS, Lima FB, Teixeira LR. Fatores psicossociais e prevalência da síndrome de burnout entre trabalhadores de enfermagem intensivistas. Rev. Bras. Ter. Intensiva. [Internet] 2015 [acesso em 05 ago. 2020]; 27(2):125-133. Disponível em: <www.scielo.br/pdf/v27n2/0103-507X-rbti-27-02-0125.pdf>.

18- Leiter MP, Maslach C. Latent burnout profiles: A new approach to understanding the burnout experience. BurnoutResearch, 2016; 3(1): 89–100. Disponível em: www.sciencedirect.com/science/article/pii/S2213058615300188.

19- Mari JJ, Williams PA. Validity study of a psichiatric screneeng questionnaire (SRQ-20) in primare care in the city of São Paulo, Br. Psichiatric. v.118, [s/n], p.23-26, 1986.

20- Ludermir AB, Lewis G. Informal work and common mental disorders. Soc. Psychiatry. Epidemiol. v.38, [s/n], p.485-9, 2003.

21- Ramirez AJ, Graham J, Richards MA, Cull A, Gregory WM. Mental health of hospital consultants: the effects of stress and satisfaction at work. Lancet. [Internet] v. 347, n. 9003, p. 724-728, 1996 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: < https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/8602002/>.

22- Grunfeld E, Whelan TJ, Zitzelsberger L, Willan AR, Montesanto B, Evans WK. et al. Cancer care workers in Ontario: prevalence of burnout, job stress and job satisfaction. CMAJ [Internet] v. 163, n. 2, p. 166-169, 2000 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.cmaj.ca/content/163/2/166.short>.

23- Golembiewski RT, Munzenrider R, Carter D. Phases of progressive burnout and their work site covariants: critical issues in OD research and praxis. J. Appl. Behav. Sci. [Internet] v. 19, n. 4, p. 461-481, 1983 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/10265310/>.

24- Girotto C, Diehl L. Saúde mental e trabalho: uma reflexão sobre a possível relação entre o diagnóstico e as situações de trabalho. POLÊM!CA [Internet] v. 16, n. 2, p. 090-115, 2016 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/polemica/article/view/22904>.

25- Sousa KHJF, Lopes DP, Tracera GMP, Abreu AMM, Portela LF, Zeitoune RCG. Transtornos mentais comuns entre trabalhadores de enfermagem de um hospital psiquiátrico. Acta. paul. Enferm. [Internet] v. 32, n.1, p. 1-10, 2019 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-21002019000100002&lng=pt&nrm=iso&tlng=pt>.

26- Costa PFF, Santos SL dos, Silva MS da, Gurgel IGD. et al. Prevalência de transtorno mental comum entre trabalhadores canavieiros. R. Saúde públ. [Internet] v. 51, n. 113, p. 1-10, 2017 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-89102017000100309&script=sci_abstract&tlng=pt>.

27- Alarcon ACRS, Guimarães LAM. Prevalência de transtornos mentais em trabalhadores de uma universidade pública do Estado de Mato Grosso do Sul, Brasil. R. S Amer. Psicol. [Internet]. v. 4, n. 1, p. 46-68, 2016 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://ediciones.ucsh.cl/ojs/index.php/RSAP/article/view/1775>.

28- Santos EG, Siqueira MM. Prevalência dos transtornos mentais na população adulta brasileira: uma revisão sistemática de 1997 a 2009. J. Bras. Psiquiatr. [Internet] v. 59, n. 3, p. 238-246, 2010 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: < https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0047-20852010000300011&lang=pt>.

29- Lopes CS, Abreu GA, Santos DF dos, Menezes PR, Carvalho KMB de, et al. ERICA: prevalência de transtornos mentais comuns em adolescentes brasileiros. R. Saúde públ. [Internet] v. 50, s.1, p. 1s-14s, 2016 [acesso em 05 ago, 2020]. Acesso em: <https://www.scielosp.org/article/rsp/2016.v50suppl1/14s/pt/>.

30- Lucchese R, Souza K de, Bonfin SP, Vera I, Santana FR. Prevalência de transtorno mental comum na atenção primária. Acta. Paul. Enferm. [Internet] v. 27, n. 3, p. 200-7, 2014 [acesso em 05 agi 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0103-21002014000300200&script=sci_arttext&tlng=pt>.

31- Farias MD, Araújo TM. Transtornos mentais comuns entre trabalhadores da zona urbana de Feira de Santana-BA. R. Bras. Saúde Ocup. [Internet] v. 36, n. 123, p. 25-39, 2011 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0303-76572011000100004>.

32- Andrade LHSG, Viana MC, Silveira CM. Epidemiologia dos transtornos psiquiátricos na mulher. R. Psiq. Clín. [Internet] v. 33, n. 2, p. 43-54, 2006 [Acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: < https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-60832006000200003>.

33- Graner KM, Cerqueira ATAR. Revisão integrativa: sofrimento psíquico em estudantes universitários e fatores associados. Ci. e saúde colet. [Internet] v. 24, n.4, p.1327-1346, 2019 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1413-81232019000401327&lng=en&nrm=iso&tlng=pt>.

34- Silva LS. Convivência escolar, qualidade de vida e flexibilidade de professores de uma escola pública do Distrito Federal. Fisioter. Bras. [Internet] v.17, n.2, p.99-106, 2016 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://www.portalatlanticaeditora.com.br/index.php/fisioterapiabrasil/article/view/195>.

35-Vidal CE, Amara B, Ferreira DP, Dias IMF, Vilela LA, Franco LR. Preditores de prováveis transtornos mentais comuns (TMC) em prostitutas utilizando o Self-Reporting Questionnaire. J. Bras. Psiquiatr. [Internet] v.63, n. 3, p. 205-12, 2014 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: < https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0047-20852014000300205&script=sci_arttext >.

36- Senicato C, Azevedo RCS, Barros MBA. Transtorno mental comum em mulheres adultas: identificando os segmentos mais vulneráveis. Ci. e saúde colet. [Internet] v. 23, n. 8, p. 2543-54, 2018 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_abstract&pid=S1413-81232018000802543&lng=pt&nrm=iso>.

37- Penido LO. Saúde mental no trabalho: um direito humano fundamental no mundo contemporâneo. R. Inf. legisl. [Internet] v. 48, n. 191, p. 209-229, 2011 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www2.senado.leg.br/bdsf/handle/id/242916>.

38- Silva JLL da, Nóbrega RACR da, Brito FGF, Gonçalves RC, Avanci BS. Tensão no trabalho e a prevalência de transtornos mentais comuns entre trabalhadores de enfermagem. R. Enferm. UFPE [Internet]. v. 5, n. 1, p. 1-9, 2011 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: < https://pdfs.semanticscholar.org/9096/b5f77bcdd8877c3d8e2b7bf92a70d7592d81.pdf>.

39- Silva KG, Freitas BA, Furgêncio GK, Portes LA, Kutz NA, Salgueiro MMHAO. Relação entre a qualidade de vida e o consumo alimentar de professores de rede privada. J. res.: fundam. care. Online. v.9, n.4, p.962-970, 2017 [acesso em 01 set. 2020]. Disponível em: <http://www.seer.unirio.br/index.php/cuidadofundamental/article/view/5492/pdf_1>.

40- Mota CM, Dosea GS, Nunes PS. Avaliação da presença da Síndrome de Burnout em Agentes Comunitários de Saúde no município de Aracaju, Sergipe, Brasil. Ci. e saúde colet. [Internet] v. 19, n. 12, p. 4719-4726, 2014 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232014001204719&script=sci_abstract&tlng=pt>.

41- Shimabuku RH, Mendonça H, Fidelis A. Presenteísmo: contribuições do Modelo Demanda-Controle para a compreensão do fenômeno. Cad. psicol. soc. trab. [Internet] v. 20, n.1, p. 65-78, 2017 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-37172017000100006&lng=pt&nrm=iso>.

42- Organização Mundial da Saúde. CID: burnout é um fenômeno ocupacional [Internet]. 2019 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&amp;view=article&amp;id=5949:cid-burnout-e-um-fenomeno-ocupacional&amp;Itemid=875>.

43- Ribeiro LCC, Barbosa LACR, Soares AS. Avaliação da prevalência de burnout entre professores e a sua relação com as variáveis sociodemográficas. R. Enferm. Cent. O. Min. [Internet] v. 5, n. 3, p. 1741-1751, 2015 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/987#:~:text=O%20objetivo%20desta%20pesquisa%20foi,com%20as%20vari%C3%A1veis%20sociodemogr%C3%A1ficas%2Dlaborais.&text=Os%20resultados%20evidenciaram%20que%2093%25%20dos%20professores%20est%C3%A3o%20acometidos%20pela%20s%C3%ADndrome>.

44- Andolhe R, Barbosa LR, Oliveira EM de, Costa ALS, Padilha KG. Estresse, coping e burnout da equipe de enfermagem de unidades de terapia intensiva: fatores associados. R. Esc. Enferm. USP. [Internet] v. 29, n. Esp, p. 58-64, 2015 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/pdf/reeusp/v49nspe/1980-220X-reeusp-49-spe-0058.pdf>.

45- Barbosa FT, Eloi RJ, Santos LM dos, Leão BA, Lima JC de, Rodrigues CFS. Correlação entre a carga horária semanal de trabalho com a síndrome de burnout entre os médicos anestesiologistas de Maceió-AL. R. Bras. Anestesiol. [Internet] v. 67, n. 2, p. 115-121, 2017 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-70942017000200115&script=sci_abstract&tlng=p>.

46- Santos AA, Sobrinho CLN. Revisão sistemática da prevalência da síndrome de burnout em professores do ensino fundamental e médio. R. Baiana Saúde públ. [Internet] v. 35, n. 2, p. 299-319, 2011 [acesso em 05 ago, 2020]. Disponível em: <http://files.bvs.br/upload/S/0100-0233/2011/v35n2/a2444.pdf>.

47- Ribeiro LCC, Oliveira TC, Moreira SA, Paula FA de. A. Construção e validação de manual sobre burnout em professores. R. Enferm. centro-oeste mineiro [Internet]. v.7, 2017 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <http://www.seer.ufsj.edu.br/index.php/recom/article/view/1317/0>.
48- Brasil. Ministério da Previdência Social. Anuário Estatístico da Previdência Social. 2015 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <www.previdencia.gov. br/wp-content/uploads/2015/08/AEPS-2015-FINAL.pdf>.
49-Organização das Nações Unidas. OMS: empresas devem promover saúde mental de funcionários no ambiente trabalho [Internet]. 2017 [acesso em 05 ago. 2020]. Disponível em: <https://nacoesunidas.org/oms-empresas-devem-51promover-saude-mental-de-funcionarios-no-ambiente-trabalho/>.

50- Klein CH, Bloch KV. Estudos seccionais. In: Medronho RA. Epidemiologia, Rio de Janeiro: Atheneu, 2006. Cap.9. p.125-150.

Publicado

2022-06-09

Como Citar

Lima da Silva, J. L., Souza Monnerat, M. ., Murta Abreu, L., de Oliveira Lima, A. L. . ., Messias, C. M., & Lemos de Almeida, G. (2022). Transtornos mentais comuns e Síndrome de Burnout entre profissionais de colégio universitário. SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool E Drogas (Edição Em Português), 18(1), 37-46. https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2022.174476