Desinstitucionalização e as novas possibilidades no cotidiano dos familiares de egressos (as) de um hospital psiquiátrico

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2022.175842

Palavras-chave:

Relações Familiares, Desinstitucionalização, Hospitais Psiquiátricos, Saúde Mental

Resumo

Objetivo: compreender o processo de desinstitucionalização e as novas possibilidades no cotidiano dos familiares de egressos (as) de um hospital psiquiátrico. Método: estudo
qualitativo de caráter exploratório e descritivo, desenvolvido com cinco familiares de egressos (as) de um Hospital Psiquiátrico no interior da Bahia. Para coleta de dados
utilizou-se a Técnica de Associação Livre de Palavras (TALP) e a entrevista semiestruturada e para análise, a Análise de Conteúdo. Resultados: o processo de desinstitucionalização dos (as) usuários (as) ocasionou nos familiares medos, apreensão e atitudes de não aceitação. O trabalho da equipe de desinstitucionalização permitiu a (re)aproximação e (re) construção dos vínculos afetivos. Conclusão: o processo de desinstitucionalização é complexo, deve envolver profissionais e gestores a sensibilizar e estimular reflexões e ações que fortaleçam o cuidado aos (as) egressos (as) e familiares.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Publicado

2022-06-09

Como Citar

Chiacchio Silva, I. N., & Pimentel Souza Batista, C. . (2022). Desinstitucionalização e as novas possibilidades no cotidiano dos familiares de egressos (as) de um hospital psiquiátrico. SMAD, Revista Eletrônica Saúde Mental Álcool E Drogas (Edição Em Português), 18(1), 47-56. https://doi.org/10.11606/issn.1806-6976.smad.2022.175842