LORDE, Audre. Irmã Outsider: Ensaios e Conferências. 1. ed. 1 reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2020. Tradução de Stephanie Borges.

Autores

  • Antoniele Luciano Universidade Federal do Paraná

DOI:

https://doi.org/10.11606/va.i39.181190

Palavras-chave:

Tradução, Feminismo negro, Audre Lorde

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Antoniele Luciano, Universidade Federal do Paraná

Doutoranda em Letras pela Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Referências

ADÚN, Guellwar. Nota do Editor. In: CARRASCOSA, Denise (Org.). Traduzindo no Atlântico Negro: Cartas Náuticas afrodiaspórica para Travessias Literárias. Salvador: Editora Ogum’s Toques Negros, 2017.

BLUME, Rosvitha; PETERLE, Patrícia. Tradução e relações de poder: algumas reflexões introdutórias. In: BLUME, Rosvitha; PETERLE, Patrícia. (Org.). Tradução e relações de poder. Tubarão: Copiart, 2013.

BORGES, Stephanie. Stephanie Borges fala do esforço de traduzir Audre Lorde. Suplemento Pernambuco, agosto de 2019. Disponível em: <https://www.suplementopernambuco.com.br/edições-anteriores/67-bastidores/2315-stephanie-borges-fala-sobre-o-esforço-de-traduzir-audre-lorde.html>. Acesso em: 12 jan. 2021.

CARRASCOSA, Denise. Traduzindo no Atlântico Negro: por uma práxis teórico-política de tradução entre literaturas afrodiaspóricas. In: Cadernos de Literatura em Tradução, n. 16, p. 63-71. São Paulo, 2016. Disponível em: <http://www.revistas.usp.br/clt/article/view/115270>. Acesso em: 12 jan. 2021.

CÉSAIRE, Aimé. O discurso sobre a negritude. Paris: Présence Africaine, 2010.

GABRIEL, Ruan de Sousa; BARBOSA, David. Em 2020, mercado editorial viveu “boom” de autores negros, mas ainda falta diversificar cadeia de produção do livro. O Globo, 25 de dezembro de 2020. Disponível em: < https://oglobo.globo.com/cultura/em-2020-mercado-editorial-viveu-boom-de-autores-negros-mas-ainda-falta-diversificar-cadeia-de-producao-do-livro-24811565>. Acesso em: 13 jan. 2021.

HOOKS, bell. Intelectuais negras. Tradução de Marcos Santarrita. In: Revista Estudos Feministas, 1995. Disponível em: <https://periodicos.ufsc.br/index.php/ref/article/view/16465/15035> Acesso em: 10 jan. 2021.

LORDE, Audre. Sister Outsider: Essays and Speeches. Berkeley: The Crossing Press, 2007.

LORDE, Audre. Irmã Outsider: Ensaios e Conferências. Trad. Stephanie Borges. 1. ed. 1 reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2020.

MUNANGA, K. Rediscutindo a mestiçagem no Brasil. São Paulo: Autêntica, 2004.

SANTANA, Tiganá. Breves considerações sobre o traduzir negro ou tradução como feitiçaria. Revista Landa. vol. 7, n°1, 2018. Disponível em: <https://repositorio.ufsc.br/bitstream/id/ebf57f17-4593-4dc0-abe4-1d3212e4bf95/1.%20TIGANA%20-%20LISTO.pdf>. Acesso em: 12 jan. 2021.

TYMOCZKO, Maria. Ideologia e a posição do tradutor: em que sentido o tradutor se situa no “entre” (lugar)? In: BLUME, Rosvitha; PETERLE, Patrícia. (Org.) Tradução e relações de poder. Tubarão: Copiart, 2013.

TYMOCZKO, Maria. The Space and Time of Activist Translation. In: TYMOCZKO, Maria. Translation, Resistance, Activism. Amherst and Boston: University of Massachusetts Press, 2010. p 227 – 254.

VIEIRA, Else. Growing Agency: The Labors of Political Translation In: TYMOCZKO, Maria. Translation, Resistance, Activism. Amherst and Boston: University of Massachusetts Press, 2010, p. 211-226.

Downloads

Publicado

2021-09-20

Como Citar

Luciano, A. (2021). LORDE, Audre. Irmã Outsider: Ensaios e Conferências. 1. ed. 1 reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2020. Tradução de Stephanie Borges. Via Atlântica, (39), 438-448. https://doi.org/10.11606/va.i39.181190