Cabeçalho do site
Bem-vindo
Esqueci minha senha

Diretório de Publicação de Bibliotecas 2020 acaba de ser publicado

O  Diretório de Publicação de Bibliotecas [1] é editado anualmente pela Library Publishing Coalition (LPC). O Diretório fornece um instantâneo anual das atividades de publicação de bibliotecas acadêmicas e de pesquisa, incluindo informações sobre o número e tipos de publicações que produzem, os serviços que oferecem aos autores, como são geridos e financiados e seus planos futuros. 

Ao documentar a amplitude e a profundidade das atividades nesse campo, esse recurso visa articular o valor exclusivo da publicação baseada em bibliotecas; estabelecê-lo como uma comunidade significativa e crescente de prática; e aumentar sua visibilidade em várias comunidades de partes interessadas, incluindo administradores, agências de financiamento, outros editores acadêmicos, bibliotecários e criadores de conteúdo. A Universidade de São Paulo, por meio da Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica, que incorporou o Sistema Integrado de Bibliotecas, também está presente no Diretório 2020. Desde 1988 fornece serviços de apoio à publicação acadêmica e científica da USP [2].

Especificamente, o  Diretório:

  • Introduz os leitores no crescente campo da publicação de bibliotecas e ajuda a articular suas características exclusivas como um “campo de publicação” distinto.
  • Facilita a colaboração entre editores de bibliotecas e outras entidades editoras, especialmente as editoras universitárias e sociedades instruídas que compartilham seus valores.
  • Alerta os autores do conteúdo acadêmico a uma variedade de possíveis parceiros de publicação dedicados a apoiar suas experiências com novas formas de comunicação acadêmica e modelos de negócios de acesso aberto.
  • Permite benchmarking e identificação de tendências em campo.

Diretório de Publicação de Bibliotecas deste ano destaca as atividades de publicação de 153 bibliotecas acadêmicas e de pesquisa e está disponível abertamente nos formatos PDF e EPUB, bem como por meio de um diretório on-line pesquisável.

Diretório ilustra as várias maneiras pelas quais as bibliotecas estão transformando e avançando ativamente as comunicações acadêmicas em parceria com acadêmicos, estudantes, editores de universidades e outros. A cada ano, a introdução do Diretório apresenta um ‘estado de campo’ com base nos dados desse ano, que também publicamos em uma postagem de blog relacionada.

Há algumas diferenças no diretório 2020. Elas emergiram do trabalho em andamento para avaliar o modelo de dados e o processo de coleta, para ajudar a garantir que as informações apresentadas no Diretório reflitam com precisão o estado atual do campo e sejam úteis para diversos usuários. As mudanças para este ano incluem:

  • Informações mais detalhadas sobre os números de publicação nos diferentes modelos (acesso aberto, pago e híbrido)
  • Três opções para o estágio de publicação em vez de 5: Piloto, Antecipado e Estabelecido. Os entrevistados foram solicitados a elaborar planos de expansão, mudança de foco ou direção futura (incluindo programas de redução) na seção Informações Adicionais.
  • Exploração adicional sobre parcerias, incluindo a preferência do editor em trabalhar com parceiros externos e que tipos de publicações outros programas devem fazer referência a eles.

FASE DO PROGRAMA E FOCO NO ACESSO ABERTO

Diretório 2020 ajustou os estágios em que as instituições poderiam qualificar seus esforços de publicação de cinco para três categorias, que foram piloto, antecipada e estabelecida. Destas categorias, 71% das instituições relataram seus esforços estabelecidos, enquanto 37% relataram estar no estágio inicial. Apenas 7% relataram estar na fase piloto.

Como já vimos nos anos anteriores, o acesso aberto é destaque na missão de muitos editores de bibliotecas. Todos os entrevistados indicaram que a abertura tem alguma importância em seu programa. Este ano, 34% dos entrevistados indicaram que seu programa está “completamente” comprometido com o acesso aberto, número 5 na nossa escala de 1 a 5. Isso representa uma diminuição de 12% em relação ao Diretório de 2019 . Essa diferença parece ter sido percebida pelos 55% dos entrevistados que indicaram que o acesso aberto é “muito importante” para o seu programa. Isso representa um aumento de 11% em relação a 2019. As instituições que indicaram que o acesso aberto é apenas “importante” ou “um pouco importante” foram encontradas em 6% e 3%, respectivamente.

FINANCIAMENTO E PESSOAL

Quarenta e oito por cento dos entrevistados receberam 100% de seu financiamento do orçamento operacional de sua biblioteca. Cinco por cento relataram 100% de seu financiamento proveniente do orçamento de materiais da biblioteca. Outros 5% dos entrevistados relataram derivar parte de seu financiamento de receitas de vendas.

Os níveis de pessoal, tanto para a equipe profissional em tempo integral quanto para a paraprofissional, apresentaram aumentos significativos este ano. O número médio de funcionários profissionais em período integral é de 2,7, mostrando um aumento de 0,4 funcionários em relação a 2019. O número médio de funcionários para profissionais é de 2,2. Esse ponto de dados mostra um aumento de 1,7 membros da equipe a partir de 2019. A razão para um aumento tão grande não é clara, embora o ano passado possa ser uma anomalia, pois uma retrospectiva dos dados de 2018 revela uma queda significativa (–1,1) em 2019. A diferença pode ser uma oportunidade maravilhosa para uma análise estatística mais profunda dos dados e talvez para mais pesquisas.

SERVIÇOS

Os programas de publicação de bibliotecas relatam um conjunto bastante amplo de serviços, oferecendo desde conselhos sobre direitos autorais até a preparação do orçamento do projeto. Os serviços mais comumente relatados são consultoria de direitos autorais (79%), serviços de metadados (77%), atribuição de identificador persistente (70%), treinamento (68%) e análises (63%). Os serviços menos prevalentes foram a preparação do orçamento (9%), a solicitação de catalogação dos dados do processo (10%) e o desenvolvimento do modelo de negócios (11%). Essas tendências altas-baixas permaneceram relativamente consistentes em comparação com os anos anteriores.

TIPOS DE PUBLICAÇÃO

Em todas as instituições, a maioria do conteúdo publicado foi uma combinação de revistas do corpo docente (99 instituições relataram, mais de 65%) e de estudantes (84 instituições relataram, cerca de 60%). O terceiro tipo mais popular de conteúdo de publicação relatado foram ETDs, que 85 instituições (cerca de 60%) relataram publicar. Monografias, livros didáticos, materiais para conferências, boletins e relatórios também são formas comuns de publicação. Mais interessante é a grande variedade de outros tipos de publicação relatados. Conjuntos de dados e recursos abertos de educação – livros didáticos e outros formatos – estão se tornando mais comuns. Capítulos de livros, materiais de arquivo e coleções especiais, resumos de políticas, pôsteres, bibliografias, mapas, projetos digitais e histórias orais foram apenas algumas das dezenas de outros formatos observados na pesquisa deste ano.

PLATAFORMAS E TECNOLOGIAS

Alavancar a tecnologia para desenvolver e gerenciar a atividade de publicação de bibliotecas é uma necessidade e um desafio contínuo. A capacidade de fazer isso muitas vezes depende de uma combinação de fatores, incluindo orçamento, pessoal e habilidades técnicas. Muitos programas de publicação operam com orçamentos enxutos e equipe enxuta, enquanto outros desfrutam de fortes fundos institucionais e concedem financiamento que possibilitam programas de desenvolvimento, instalação e manutenção de software em larga escala. Os programas de publicação de bibliotecas geralmente aproveitam as tecnologias de software de código aberto. Enquanto algumas bibliotecas gerenciam essa infraestrutura internamente, as tecnologias terceirizadas e baseadas na nuvem são essenciais para outras. O Open Journal Systems (OJS) do Public Knowledge Project é o software de publicação de bibliotecas mais usado, com 45% dos participantes da pesquisa de 2020 relatando seu uso – um aumento de 5% em relação ao ano anterior. A plataforma bepress (Digital Commons) é usada por 39% dos participantes, um ligeiro declínio em relação ao uso de 43% relatado pelos participantes da pesquisa em 2019. O DSpace, uma plataforma bem estabelecida para repositórios de acesso aberto, é a terceira plataforma de publicação de bibliotecas mais popular, com 32%. Pressbooks é usado por 21% dos entrevistados. Softwares desenvolvidos localmente ainda são importantes neste campo, com 16%, um pequeno renascimento (um aumento de 4%) depois de uma tendência de queda nos últimos dois anos.

Uma descoberta interessante nos dados é que a maioria dos editores de bibliotecas oferece várias plataformas de publicação: 43% oferecem três ou mais plataformas de publicação, 20% oferecem duas plataformas de publicação e 32% oferecem apenas uma plataforma de publicação. Dos 32% que oferecem apenas uma plataforma, a plataforma mais comum foi o bepress (Digital Commons), que pode ser usado como repositório institucional e para publicação de periódicos.

FORMATOS DE MÍDIA

As publicações de hoje podem incorporar uma ampla variedade de tipos de mídia, desde texto simples até visualizações interativas de dados. Todos os entrevistados indicaram que trabalham com texto. Atualmente, 88% dos programas de publicação trabalham com imagens, 70% dos editores relatam trabalhar com vídeo, 69% relatam trabalhar com áudio e 68% dos editores relatam trabalhar com dados. Conteúdo multimídia / interativo, mapas conceituais e visualizações e modelagem são reportados em 39%, 29% e 14%, respectivamente.

DIGITAL PRESERVATION

As metodologias internas continuam sendo a principal estratégia de preservação entre os editores, com 34% dos entrevistados gerenciando sua própria preservação. 25% dos entrevistados usam LOCKSS e 20% relatam usar o Amazon S3. O uso da rede de preservação do Public Knowledge Project foi relatado por 14% dos entrevistados. Notavelmente, 20% dos entrevistados indicaram que os serviços de preservação estão em discussão.

PARCERIAS

Parcerias internas
A maioria dos programas de publicação de bibliotecas é desenvolvida inicialmente para atender às necessidades de publicação de suas instituições, e o Diretório tem relatado consistentemente fortes parcerias entre as bibliotecas analisadas e as comunidades de campus (ou outras). Os resultados da pesquisa deste ano continuam a apoiar isso, com 83% dos entrevistados relatando parcerias com departamentos e programas no campus e 85% relatando parcerias com professores individuais. Esses números são consistentes com os anos anteriores, mostrando apenas pequenos aumentos em relação a 2019. A maior mudança em relação a 2019 foram as parcerias com estudantes de graduação, que aumentaram de 57% para 75%.

Parcerias externas
À medida que a publicação de bibliotecas cresce, há uma necessidade crescente de informações sobre quais bibliotecas estão dispostas a trabalhar com parceiros externos e sob quais circunstâncias. As bibliotecas precisam saber a quais colegas eles podem indicar publicações que não correspondem ao escopo e capacidade de seu programa, e editores e sociedades precisam saber quais editores de bibliotecas podem estar dispostos a considerar trabalhar com eles. Para facilitar essas conversas, adicionamos uma pergunta este ano sobre se os programas analisados ​​estão interessados ​​em trabalhar com parceiros externos. 18% dos entrevistados relataram vontade de trabalhar com qualquer parceiro externo; 59% dos entrevistados indicaram vontade de trabalhar com parceiros externos que podem demonstrar um vínculo com sua instituição, e 5% por cento manifestaram interesse em trabalhar com parceiros externos com base em suas especialidades disciplinares. Dez por cento relataram que estão interessados ​​apenas em trabalhar com parceiros internos. Esses resultados indicam oportunidades substanciais para sociedades acadêmicas e publicações independentes fazerem parceria com bibliotecas.

SOBRE OS DADOS

A LPC mantém conjuntos de dados arquivados para a pesquisa de cada ano. Todos os conjuntos de dados estão disponíveis na LPC em seu formato bruto (valor separado por vírgula) mediante solicitação. Uma análise estatística completa dos dados dos últimos sete anos, como um conjunto, nunca foi concluída e é uma rica oportunidade para pesquisa.

== Referência ==

[1] LIBRARY PUBLISHING COALITION. Directory of Library Publishing 2020. Atlanta, 2020. Disponível em: https://librarypublishing.org/directory-year/directory-2020/ Acesso em: 24 fev. 2020.

== Nota ==

[2] Mantém o Portal de Revistas da USP, o Portal de Livros Abertos da USP, a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações, a Biblioteca Digital de Trabalhos Acadêmicos, além do Repositório da Produção USP. Em 2016, o Dia do Bibliotecário na USP foi dedicado ao tema Bibliotecas como Parceiras na Publicação Científica. Na ocasião, a então Diretora da Library Publishing Coalition Sarah Lippincott apresentou remotamente sua palestra. Confira o vídeo gravado: http://iptv.usp.br/portal/video.action?idItem=32410

© 2012 - 2020 AGUIA - Agência USP de Gestão da Informação Acadêmica