Aracy Amaral: uma visão crítica em busca de uma identidade nacional nas artes visuais - 1963/1974

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2022.188242

Palavras-chave:

Aracy Amaral, Crítica de arte, Identidade nacional, Cultura brasileira

Resumo

Este artigo aborda a questão da cultura brasileira e da identidade nacional nas artes visuais a partir dos textos da crítica de arte Aracy Amaral publicados entre 1963 e 1974. Para tanto, recorre-se à análise de seus principais textos críticos, bem como de bibliografia historiográfica complementar. O conceito de “cisão fáustica” proposto por Marshall Berman é mobilizado como analogia para certas preocupações de Amaral, como o atraso econômico e cultural da sociedade brasileira e a busca pela identidade nacional. Pretende-se compreender de que forma seu discurso problematizava as relações, no campo das artes visuais, entre identidade nacional e as interferências artísticas e culturais internacionais – culminando também no intuito de compreensão da ideia de identidade cultural brasileira presente em sua obra.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milena Fransolino, Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR), Brasil

Milena Fransolino é pesquisadora, arte-educadora e designer. Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Artes da Universidade Estadual do Paraná (PPGARTES/UNESPAR) na linha de pesquisa Modos de Conhecimento e Processos Criativos em Artes, Licenciada em Artes Visuais pela mesma instituição e Bacharel em Desenho Industrial com habilitação em Programação Visual pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR). Atualmente, pesquisa a crítica de arte brasileira dos anos 1960 e suas contribuições para a discussão em torno da arte de vanguarda no Brasil.

Referências

AMARAL, Aracy A. raízes da terra, Correio da manhã, Rio de Janeiro, 1968, n.p.

AMARAL, Aracy A. arte no Brasil (1966), Arte em revista, São Paulo, n. 2, 1979, pp. 29-30

AMARAL, Aracy A. A única esperança (1967). In Arte e meio artístico: entre a feijoada e o x-burguer. São Paulo: Editora 34, 2013a, pp. 162-167.

AMARAL, Aracy A. Arte sem educação (1967). In Arte e meio artístico: entre a feijoada e o x-burguer. São Paulo: Editora 34, 2013b, pp.168-173.

AMARAL, Aracy A. Dos carimbos à bolha (1968). In Arte e meio artístico: entre a feijoada e o x-burguer. São Paulo: Editora 34, 2013c, pp 174-179.

AMARAL, Aracy A. O artista brasileiro e o impasse do seu tempo (1971). In Arte e meio artístico: entre a feijoada e o x-burguer. São Paulo: Editora 34, 2013d, pp. 186-193.

AMARAL, Aracy A. Reflexões: o artista brasileiro II – e uma presença: Cildo Meireles (1971). In Arte e meio artístico: entre a feijoada e o x-burguer. São Paulo: Editora 34, 2013e, pp. 194-200.

AMARAL, Aracy A. Hélio Oiticica (1973). In Arte e meio artístico: entre a feijoada e o x-burguer. São Paulo: Editora 34, 2013f, pp. 215-221.

AMARAL, Aracy A. Entrevista de Aracy Amaral à Ocupação Aracy Amaral (2017), projeto do Itaú Cultural. In OCUPAÇÃO Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2020. Disponível em: <https://www.itaucultural.org.br/ocupacao/aracy-amaral/aracy>. Acesso em: 16 jul. 2020.

ARACY AMARAL. In ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2019. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa10/aracy-amaral>. Acesso em: 16 jul. 2020.

ARGAN, Giulio Carlo. Arte e crítica da arte. Lisboa: Editorial Estampa, 1988.

AVANCINI, José Augusto. A crítica de arte nos anos 70: uma visão, Porto Arte - Revista de Artes Visuais, Porto Alegre, vol. 6, n. 10, nov. 1995, pp. 27-34.

BERMAN, Marshall. Tudo que é sólido desmancha no ar. São Paulo: Companhia das Letras, 2007.

BOSI, Alfredo. Cultura brasileira e culturas brasileiras. In Dialética da colonização. São Paulo: Companhia das Letras, 1992.

COUTO, Maria de Fátima Morethy. Por uma vanguarda nacional: a crítica brasileira em busca de uma identidade artística (1940-1960). Campinas: Editora Unicamp, 2004.

FREITAS, Artur. História e imagem artística: por uma abordagem tríplice, Revista Estudos Históricos. Rio de Janeiro, v. 2, n. 34, jan. 2004, pp. 3-21. Disponível em: <http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/reh/article/view/2224/1363>. Acesso em: 11 jul. 2020.

FREITAS, Artur. Cisão fáustica e modernismo periférico. In Festa no Vazio: Performance e Contracultura nos Encontros de Arte Moderna, São Paulo: Intermeios, 2017, pp. 67-69.

MOTA, Carlos Guilherme. A cultura brasileira como problema histórico, Revista USP, n. 3, dez. 1986, pp. 8-39.

NAPOLITANO, Marcos. Cultura brasileira: utopia e massificação (1950-1980). São Paulo: Editora Contexto, 2004.

OITICICA, Hélio. Aspiro ao grande labirinto. Rio de Janeiro: Rocco, 1986.

ORTIZ, Renato. Cultura brasileira e identidade nacional. São Paulo: Brasiliense, 1994.

REIS, Paulo R. O. Exposições de arte: vanguarda e política entre os anos 1965 e 1970, 2005. Tese (Doutorado em História), Curitiba, UFPR, 219f..

REIS, Paulo R. O. Nova Objetividade Brasileira – posicionamentos da vanguarda, MODOS: Revista de História da Arte, Campinas, v. 1, n. 3, set. 2017, pp. 98-114. Disponível em: http://www.publionline.iar.unicamp.br/index.php/mod/article/view/867. Acesso em: 11 set. 2020.

RIBEIRO, Marilia A. Arte e política no Brasil: a atuação das neovanguardas nos anos 60. In FABRIS, Annateresa (org). Arte & política: algumas possibilidades de leitura. Belo Horizonte; São Paulo: C/Arte; Fapesp, 1998, pp. 165-177.

RIDENTI, Marcelo. A agitação cultural-revolucionária nos anos 1960. In O fantasma da revolução brasileira. 2. ed. São Paulo: SciELO-Editora UNESP, 2010. pp. 71-114.

RIVERA, Tania; PUCU, Izabela. Arte, memória, sujeito: bandeiras na Praça General Osório 1968/Bandeiras na Praça Tiradentes 2014, Lua Nova: Revista de Cultura e Política, n. 96, 2015, pp. 177-190.

SANTOS, Milton Polos de crescimento econômico e justiça social. In Economia espacial. 2ª edição, 3ª reimpressão. São Paulo: Edusp, 2014. pp. 165-183.

TEJO, Cristiana Santiago. A gênese do campo da curadoria de arte no Brasil: Aracy Amaral, Frederico Morais, Walter Zanini. 2017. Tese (Doutorado em Sociologia), Pernambuco, UFPE, 261f.

ZANINI, Walter. As variáveis artísticas nas últimas duas décadas. In História geral da arte no Brasil. São Paulo: Instituto Walter Moreira Salles, 1983, v. 2, pp. 728-820.

ZILIO, Carlos. A querela do Brasil - A questão da identidade da arte brasileira: a obra de Tarsila, Di Cavalcanti e Portinari/1922-1945. Rio de Janeiro: Edição Funarte, 1982a.

ZILIO, Carlos. O nacional e o popular na cultura brasileira: artes plásticas. São Paulo: Brasiliense, 1982b.

Downloads

Publicado

2022-04-30

Como Citar

Fransolino, M. (2022). Aracy Amaral: uma visão crítica em busca de uma identidade nacional nas artes visuais - 1963/1974. ARS (São Paulo), 20(44), 27-75. https://doi.org/10.11606/issn.2178-0447.ars.2022.188242

Edição

Seção

Artigos