Foucault (parcialmente) vindicado no Brasil central: sexualidade como um dos fundamentos da vida

Autores

  • Vanessa Rosemary Lea Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v24i24p427-440

Palavras-chave:

Mebengokre-Kayapó, sexualidade, gênero, aliança matrimonial

Resumo

Ao se conviver com os Mebengokre (também conhecidos como Kayapó, de língua Jê), a presença da sexualidade permea todo o ambiente. É um dos assuntos favoritos das conversas e uma das fontes preferidas de prazer. No
entanto, já em meados da década de 1990, os homens censuraram minhas conversas com as mulheres sobre sexualidade, designando-as como “fofoca” – inútil para fomentar projetos ou obter empregos. Em um curso para formação de professores bilíngues, em 2009, fui censurada novamente, desta vez por introduzir a questão da homossexualidade, sob a alegação de ser este um assunto de “branco”. A sexualidade Mebengokre já suscitou questões fantasiosas, como a figura da “especialista sexual paga”, algo que reverberou na literatura internacional. Após meio século de referências esparsas a respeito da sexualidade Mebengokre, permanece a indagação sobre a possibilidade de abordá-la fora da perspectiva do exotismo.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Rosemary Lea, Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

Centro de Pesquisa em Etnologia Indígena (CPEI)

Etnologia

Downloads

Publicado

2016-06-17

Como Citar

Lea, V. R. (2016). Foucault (parcialmente) vindicado no Brasil central: sexualidade como um dos fundamentos da vida. Cadernos De Campo (São Paulo - 1991), 24(24), 427-440. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9133.v24i24p427-440

Edição

Seção

Especial