OS ESTUDOS DE CASO DOS INIBIDORES DE APETITE E DA FOSFOETANOLAMINA SINTÉTICA: A FRAGILIZAÇÃO DO PAPEL DA ANVISA

Autores

  • Ana Carolina Perdigão Faleiros Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia/GO

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v18i1p140-170

Palavras-chave:

Agência Nacional de Vigilância Sanitária, Fosfoetanolamina Sintética, Inibidores de Apetite, Regulação.

Resumo

Este artigo trata sobre a fragilização do importante papel da Agência Nacional de Vigilância Sanitária que é de proteção da saúde da população – exercido, principalmente, pela mitigação dos riscos decorrentes do consumo de produtos sujeitos a seu controle, tais como os medicamentos. Essa desvalorização da agência está sendo causada pelas crescentes ameaças as suas competências, em grande parte por decisões do Congresso Nacional movidas por pressões de alguns grupos ou mesmo por comoções sociais iludidas por panaceias. São analisados dois casos emblemáticos: o dos inibidores de apetite e o da fosfoetanolamina sintética (a "pílula do câncer").

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Carolina Perdigão Faleiros, Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Goiânia/GO

Especialista em Vigilância Sanitária pela Pontifícia Universidade Católica de Goiás; graduada em Ciências Farmacêutica pela Universidade de Brasília. Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária na Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Downloads

Publicado

2017-08-09

Como Citar

Faleiros, A. C. P. (2017). OS ESTUDOS DE CASO DOS INIBIDORES DE APETITE E DA FOSFOETANOLAMINA SINTÉTICA: A FRAGILIZAÇÃO DO PAPEL DA ANVISA. Revista De Direito Sanitário, 18(1), 140-170. https://doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v18i1p140-170

Edição

Seção

Tema em Debate