Processos construtivos de um sambaqui fluvial

  • Cláudia Regina Plens Universidade Federal de São Paulo; UNIFESP.
Palavras-chave: Sambaqui fluvial, Processo de formação, Caçadores-coletores, Construção monticular

Resumo

Pesquisas recentes apontam para o fenômeno construtivo de sambaquis fluviais na região do médio Vale do Ribeira de Iguape, São Paulo, mais precisamente em três regiões, Itaoca, bacia do rio Jacupiranguinha e bacia do Juquiá, durante, pelo menos, o período de 9.000 anos. O presente artigo tem por objetivo definir o perfil de um sambaqui fluvial, sítio Moraes (6.000- 4.000 anos A.P.), no município de Miracatu, SP, com a finalidade de criar a compreensão intrassítio dos processos formativos envolvidos para a elevação desta estrutura monticular. O sítio Moraes, embora apresente diversos vestígios, apresenta apenas um tipo de estrutura arqueológica: sepultamentos na forma de montículos funerários.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Cláudia Regina Plens, Universidade Federal de São Paulo; UNIFESP.

Departamento de História da Universidade Federal de São Paulo; UNIFESP.

Publicado
2013-12-26
Como Citar
Plens, C. (2013). Processos construtivos de um sambaqui fluvial. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (23), 3-18. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2013.106993
Seção
Artigos