Em defesa da complementaridade: uma análise dos encontros entre Habermas e Rancière

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2017.116480

Palavras-chave:

Política, deliberação, estética.

Resumo

O presente trabalho busca identificar diferenças e semelhanças entre os autores Jürgen Habermas e Jacques Rancière a partir de um paralelo entre os conceitos de dano e agir comunicativo, partilha do sensível e mundo da vida, e dissenso e consenso. A partir desse paralelo argumentamos que existe uma complementaridade na concepção de política entre os dois, ainda que suas perspectivas pareçam opostas, pois Rancière preocupa-se com a dimensão estética da política, enquanto Habermas valoriza o logos presente no processo argumentativo. Defendemos que ambos ressaltam a importância do ideal de igualdade e do dissenso que compõem a esfera pública (ou a partilha do sensível) para alcançarmos uma cena política. 

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Vanessa Veiga de Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais
    Doutoranda em Comunicação Social, bolsista Capes-Fulbright

Referências

COOKE, M. Five arguments for deliberative democracy. Political Studies, Hoboken, v. 48, n. 5, p. 947-969, 2000. Disponível em: http://bit.ly/2q7jPHP. Acesso em: 26 abr. 2017.

HABERMAS, J. Ações, atos de fala, interações mediadas pela linguagem e mundo da vida. In: ______. Pensamento pós-metafísico: estudos filosóficos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1991.

HABERMAS, J.; REHG, W. Between facts and norms: contributions to a discourse theory of law and democracy. Cambridge: The MIT Press, 1996

LELO, T.; MARQUES, A. C. S. Democracia e pós-democracia no pensamentos político de Jacques Rancière a partir das noções de igualdade, ética e dissenso. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 15, p. 349-374, 2014. Disponível em: http://bit.ly/2oNg5dF Acesso em: 26 abr. 2017.

MAIA, R. C. M.; GARCÊZ, R. L. Recognition, feelings of injustice and claim justification: a case study of deaf people’s storytelling on the internet. European Political Science Review, v. 6, n. 3, p. 359-382, 2012. Disponível em: http://bit.ly/2pAxrhV Acesso em: 26 abr. 2017.

MAIA, R. C. M. Mídia e Deliberação. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

MANSBRIDGE, J. Everyday Talk in Deliberative System. In: MACEDO, S. (Ed.). Deliberative Politics: Essays on Democracy and Disagreement. Oxford: Oxford University Press, 1999.

MARQUES, A. C. S. Comunicação, estética e política: a partilha do sensível promovida pelo dissenso, pela resistência e pela comunidade. Galáxia, São Paulo, n. 22, p. 25-39, 2011.

______. Inter-relações entre estética e política: o papel das emoções, da experiência e da narrativa ficcional. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO, 19., 2010, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: http://bit.ly/2qfV5wo Acesso em: 26 abr. 2017.

______. Relações entre comunicação, estética e política a partir das abordagens conceituais de Habermas e Rancière. Fronteiras, São Leopoldo, v. 15, n. 3, p. 150-159, 2013a. Disponível em: http://bit.ly/2q7iG3c Acesso em: 26 abr. 2017.

______. Três bases estéticas e comunicacionais da política: cenas de dissenso, criação do comum e modos de resistência. Contracampo, Niterói, v. 26, n. 1, p. 126-145, 2013b. Disponível em: http://bit.ly/2p5ds9y Acesso em: 26 abr. 2017.

POLLETA, F; LEE, J. Is telling stories good for democracy? rhetoric in public deliberation after 9/11. American Sociological Review, Thousand Oaks, v. 71, n. 5, p. 699-723, 2006. Disponível em: http://bit.ly/2pArIIZ. Acesso em: 26 abr. 2017.

RANCIÈRE, J. A estética como política. Devires – Cinema e Humanidades, Belo Horizonte, v. 7, n. 2, p. 1-25, 2010. Disponível em: http://bit.ly/2pjbYqY. Acesso em: 26 abr. 2017.

______. Introducing Disagreement. Angelaki Journal of Theoretical Humanities, Abingdon, v. 9, n. 3, 2004. Disponível em: http://bit.ly/2p56ZeQ Acesso em: 26 abr. 2017.

______. O dano: política e polícia. In: ______. O Desentendimento: política e filosofia. São Paulo: Editora 34, 1996.

______. The thinking of dissensus: politics and aesthetics. In: BOWMAN, P.; STAMP, R. Reading Rancière. London: Continuum International Publishing Group, 2011.

YOUNG, I. Inclusive Political Communication. In: ______. Inclusion and Democracy. New York: Oxford University Press, 2000.

Downloads

Publicado

2017-07-13

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

Em defesa da complementaridade: uma análise dos encontros entre Habermas e Rancière. RuMoRes, [S. l.], v. 11, n. 21, p. 287–304, 2017. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2017.116480. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/116480.. Acesso em: 16 jun. 2024.