Em defesa da complementaridade: uma análise dos encontros entre Habermas e Rancière

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2017.116480

Palavras-chave:

Política, deliberação, estética.

Resumo

O presente trabalho busca identificar diferenças e semelhanças entre os autores Jürgen Habermas e Jacques Rancière a partir de um paralelo entre os conceitos de dano e agir comunicativo, partilha do sensível e mundo da vida, e dissenso e consenso. A partir desse paralelo argumentamos que existe uma complementaridade na concepção de política entre os dois, ainda que suas perspectivas pareçam opostas, pois Rancière preocupa-se com a dimensão estética da política, enquanto Habermas valoriza o logos presente no processo argumentativo. Defendemos que ambos ressaltam a importância do ideal de igualdade e do dissenso que compõem a esfera pública (ou a partilha do sensível) para alcançarmos uma cena política. 

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Vanessa Veiga de Oliveira, Universidade Federal de Minas Gerais

Doutoranda em Comunicação Social, bolsista Capes-Fulbright

Referências

COOKE, M. Five arguments for deliberative democracy. Political Studies, Hoboken, v. 48, n. 5, p. 947-969, 2000. Disponível em: http://bit.ly/2q7jPHP. Acesso em: 26 abr. 2017.

HABERMAS, J. Ações, atos de fala, interações mediadas pela linguagem e mundo da vida. In: ______. Pensamento pós-metafísico: estudos filosóficos. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1991.

HABERMAS, J.; REHG, W. Between facts and norms: contributions to a discourse theory of law and democracy. Cambridge: The MIT Press, 1996

LELO, T.; MARQUES, A. C. S. Democracia e pós-democracia no pensamentos político de Jacques Rancière a partir das noções de igualdade, ética e dissenso. Revista Brasileira de Ciência Política, Brasília, n. 15, p. 349-374, 2014. Disponível em: http://bit.ly/2oNg5dF Acesso em: 26 abr. 2017.

MAIA, R. C. M.; GARCÊZ, R. L. Recognition, feelings of injustice and claim justification: a case study of deaf people’s storytelling on the internet. European Political Science Review, v. 6, n. 3, p. 359-382, 2012. Disponível em: http://bit.ly/2pAxrhV Acesso em: 26 abr. 2017.

MAIA, R. C. M. Mídia e Deliberação. Rio de Janeiro: FGV, 2008.

MANSBRIDGE, J. Everyday Talk in Deliberative System. In: MACEDO, S. (Ed.). Deliberative Politics: Essays on Democracy and Disagreement. Oxford: Oxford University Press, 1999.

MARQUES, A. C. S. Comunicação, estética e política: a partilha do sensível promovida pelo dissenso, pela resistência e pela comunidade. Galáxia, São Paulo, n. 22, p. 25-39, 2011.

______. Inter-relações entre estética e política: o papel das emoções, da experiência e da narrativa ficcional. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO EM COMUNICAÇÃO, 19., 2010, Rio de Janeiro. Anais… Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: http://bit.ly/2qfV5wo Acesso em: 26 abr. 2017.

______. Relações entre comunicação, estética e política a partir das abordagens conceituais de Habermas e Rancière. Fronteiras, São Leopoldo, v. 15, n. 3, p. 150-159, 2013a. Disponível em: http://bit.ly/2q7iG3c Acesso em: 26 abr. 2017.

______. Três bases estéticas e comunicacionais da política: cenas de dissenso, criação do comum e modos de resistência. Contracampo, Niterói, v. 26, n. 1, p. 126-145, 2013b. Disponível em: http://bit.ly/2p5ds9y Acesso em: 26 abr. 2017.

POLLETA, F; LEE, J. Is telling stories good for democracy? rhetoric in public deliberation after 9/11. American Sociological Review, Thousand Oaks, v. 71, n. 5, p. 699-723, 2006. Disponível em: http://bit.ly/2pArIIZ. Acesso em: 26 abr. 2017.

RANCIÈRE, J. A estética como política. Devires – Cinema e Humanidades, Belo Horizonte, v. 7, n. 2, p. 1-25, 2010. Disponível em: http://bit.ly/2pjbYqY. Acesso em: 26 abr. 2017.

______. Introducing Disagreement. Angelaki Journal of Theoretical Humanities, Abingdon, v. 9, n. 3, 2004. Disponível em: http://bit.ly/2p56ZeQ Acesso em: 26 abr. 2017.

______. O dano: política e polícia. In: ______. O Desentendimento: política e filosofia. São Paulo: Editora 34, 1996.

______. The thinking of dissensus: politics and aesthetics. In: BOWMAN, P.; STAMP, R. Reading Rancière. London: Continuum International Publishing Group, 2011.

YOUNG, I. Inclusive Political Communication. In: ______. Inclusion and Democracy. New York: Oxford University Press, 2000.

Downloads

Publicado

2017-07-13

Como Citar

OLIVEIRA, V. V. de. Em defesa da complementaridade: uma análise dos encontros entre Habermas e Rancière. RuMoRes, [S. l.], v. 11, n. 21, p. 287-304, 2017. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2017.116480. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/116480. Acesso em: 5 out. 2022.

Edição

Seção

Artigos