Escrever a história do cinema brasileiro no século XXI: desconstruir a história no singular e escrever a história no plural

Autores

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2017.120276

Palavras-chave:

História, história do cinema brasileiro, história plural.

Resumo

Este artigo procura analisar e propor uma forma de construir uma história do cinema brasileiro na contemporaneidade que dê conta da diversidade e da ampliação geográfica dos polos de produção cinematográfica e acadêmica que vêm, continuamente, se manifestando. De que maneira é possível fazê-lo, incluindo novos temas, abordagens e campos que vêm se desenvolvendo desde os anos 1990, sem que distinções hierarquizantes, valorativas e, sobretudo, sem um suposto sentido “nacional” que fundou e fundamentou a escrita dessa história desde o seu surgimento se façam preponderantes? Para responder a essa pergunta, encontramos em Reinhart Koselleck e sua proposta de uma História Plural o arcabouço teórico capaz de dar conta dessas várias e significativas questões.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Sheila Schvarzman, Universidade Anhembi Morumbi (UAM)

Pós-doutorado em Multimeios e doutorado em História Social pela Universidade Estadual de Campinas. É  professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Anhembi Morumbi (UAM).

Referências

ALBUQUERQUE JR, D. M. A invenção do Nordeste e outras artes. Recife: Massangana; São Paulo: Cortez, 2009.

ANDERSON, B. Comunidades Imaginadas. São Paulo: Companhia das Letras, 2008.

ANDREW, D. An Atlas of World Cinema. Framework: The Journal of Cinema and Media, v. 45, n. 2, p. 9-23, 2004. Disponível em: http://bit.ly/2paW5mh Acesso em: 4 set. 2016.

ARAÚJO, L. C. Os seriados norte-americanos e o cinema brasileiro dos anos 1920. Contracampo, Niterói, v. 24, p. 159-177, 2012.

______. Prólogos envenenados: cinema e teatro nos palcos da Cinelândia carioca. Travessias, Cascavel, v. 3, v. 2, p. 1-16, 2009. Disponível em: http://bit.ly/2pegubY. Acesso em 12 out. 2016.

AUTRAN, A. Panorama da historiografia do cinema brasileiro. Alceu, Rio de Janeiro, v. 7, n. 14, 2007. Disponível em: http://bit.ly/2oElhzA Acesso em: 12 out. 2016.

BERNARDET, J. C. Cinema brasileiro: propostas para uma história. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.

BERNARDET, J. C. Historiografia clássica do cinema brasileiro. São Paulo: Annablume, 1992.

BERNARDET, J. C.; GALVÃO, M. R. O nacional e o popular na cultura brasileira. São Paulo: Brasiliense, 1983.

DOSSE, F. A. História em Migalhas - Dos Annales À Nova História. Campinas: Unicamp, 1992.

FANON, F. Os condenados da Terra. Juiz de Fora: UFJF, 2006.

FOSTER, L.S. Cinema amador brasileiro: história, discursos e práticas (1926-1959). 266 f. 2016. Tese (Doutorado) – Escola de Comunicações e Artes, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2016. Disponível em: http://bit.ly/2pttKL4 Acesso em: 24 abr. 2017.

FREIRE, R. L. Acabaram-se os otários: compreendendo o primeiro longa-metragem brasileiro sonoro. Rebeca, São Paulo, v. 3, n. 3, 2013. Disponível em: http://bit.ly/2oYS7Pa Acesso em: 12 out. 2016.

FREIRE, R. L. O cinema no Rio de Janeiro: 1914 a 1929. In: RAMOS, F.; SCHVARZMAN, S. Nova História do Cinema Brasileiro. São Paulo: Sesc. No prelo.

GOMERY, D.; ALLEN, R. Film and History: theory and practice. Boston: McGraw-Hill, 1993.

GOMES, P. E. S.; GONZAGA, A. 70 anos de Cinema Brasileiro. Rio de Janeiro: Expressão e Cultura, 1966.

______. Cinema: uma trajetória no subdesenvolvimento. Rio de Janeiro: Paz e Terra/Embrafilme, 1980.

______. Crítica de cinema no suplemento literário. Rio de Janeiro: Paz e Terra/Embrafilme, 1982.

______. Humberto Mauro, Cataguases, Cinearte. São Paulo: Perspectiva, 1974.

HOLANDA, K. Documentário Nordestino: mapeamento, história e análise. São Paulo: Annablume, 2008.

KOSSELECK, R. L´experience de L´histoire. Paris: Gallinard/Le Seuil, 1997.

KOSELLECK, R. Futuro Passado: contribuição à semântica dos tempos históricos. Rio de Janeiro: Contraponto; PUC Rio, 2006.

KOSELLECK, R. Os estratos do tempo. Rio de Janeiro: Contraponto, 2014.

MORETTI, F. “Conjecture on World Literature”. New Left Review, London, n. 1, 2000.

NIKLAS, O. History in the Plural: an Introduction to the Work of Reinhart Koselleck. New York: Berghan Books, 2012.

PRADO JÚNIOR, C. Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo: Livraria Martins Fontes Editora, 1942.

RAMOS, F. História do Cinema Brasileiro. São Paulo: ArtEditora, 1986.

SADOUL, G. História do Cinema Mundial. São Paulo: Livraria Martins Fontes Editora, 1963.

______. Histoire du Cinéma Mondial des origines à nos jours. Paris: Flammarion, 1949.

SCHVARZMAN, S. História e historiografia do cinema Brasileiro: objetos do historiador. Especiaria: Cadernos de Ciências Humanas, Santa Cruz, v. 10, n. 17, 2007.

SOUZA, A. C. M. Formação da Literatura Brasileira. Itatiaia: Belo Horizonte, Rio de Janeiro, 1959.

______. “Significado de Raízes do Brasil”. In: HOLANDA, S. B. Raízes do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

VEYNE, P. Acreditavam os gregos em seus mitos. São Paulo: Brasiliense, 1984. VIANY, A. Introdução ao Cinema Brasileiro. Rio de Janeiro: Instituto Nacional do Livro, 1959.

Downloads

Publicado

2017-07-13

Como Citar

SCHVARZMAN, S. Escrever a história do cinema brasileiro no século XXI: desconstruir a história no singular e escrever a história no plural. RuMoRes, [S. l.], v. 11, n. 21, p. 132-150, 2017. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2017.120276. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/120276. Acesso em: 28 fev. 2024.

Edição

Seção

Dossiê