Quando o jornalismo político é uma piada

análise do conteúdo político do Sensacionalista e sua repercussão em mídias sociais

Palavras-chave: Jornalismo e política, Humor, Notícias falsas, Sensacionalista

Resumo

Este artigo tem por objetivo analisar os conteúdos publicados no site de humor Sensacionalista, a fim de compreender quanto deste conteúdo se relaciona com a política no sentido estrito. Partindo de uma discussão sobre acuidade jornalística e fake news, empreendeu-se uma análise de conteúdo sobre as postagens coletadas, buscando-se identificar quais foram os conteúdos de humor sobre política mais repercutidos entre os usuários do Facebook. Embora a proporção de conteúdos sobre política presentes na amostra não seja inicialmente expressiva, esses conteúdos estão entre os que geram maior interesse dos leitores do website.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Viktor Chagas, Universidade Federal Fluminense

Professor e pesquisador do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade Federal Fluminense (UFF). Bolsista CNPq de Pós-Doutorado Jr. pela Universidade Federal da Bahia (UFBA/INCT.DD). Doutor em História, Política e Bens Culturais (Cpdoc/FGV).

Fernanda Freire, Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Mestre em Comunicação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj).

Referências

ALLCOTT, H.; GENTZKOW, M. “Social media and fake news in the 2016 election”. Journal of Economic Perspectives, v. 31 n. 2, 2017.

BIRD, S. E.; DARDENNE, R. “Mito, registo e ‘estórias’: explorando as qualidades narrativas das notícias”. In: TRAQUINA, N. (org.). Jornalismo: questões, teorias e ‘estórias’. Lisboa: Vega, 1999.

BOORSTIN, D. The image. Nova Iorque: Random House, 1992.

BRANTS, K. “Quem tem medo do infotainment?” Media & Jornalismo, v. 7 n. 7, 2005.

CHADWICK, A.; VACCARI, C.; O’LOUGHLIN, B. “Do tabloids poison the well of social media? Explaining democratically dysfunctional news sharing”. New Media & Society, online-first, 2018.

DEMERS, D. Dictionary of Mass Communication & Media Research. Spokane: Marquette, 2005.

DOURADO, T. “Fact-checking como possibilidade de accountability do jornalismo sobre o discurso político: as três iniciativas brasileiras”. In: Anpocs. Anais... Caxambu: Anpocs, 2016.

FAINA, J. “Public journalism is a joke: the case for Jon Stewart and Stephen Colbert”. Journalism, v. 14 n. 4, 2012.

GAMSON, J. Freaks talk back: tabloid talk shows and sexual nonconformity. Chicago: UCP, 1999.

GERSON, D. Afinal, o que é pseudonotícia? Um estudo sobre o The i-Piauí Herald, o Sensacionalista e o Laranjas News. Porto Alegre: PUC-RS, 2014. (Dissertação de Mestrado.)

GOFFMAN, E. Frame analysis. Chicago: Northeastern, 1986.

HANSON, G.; WEARDEN, S. “Measuring newscast accuracy: applying a newspaper model to television”. Journalism & Mass Communication Quarterly, v. 81 n. 3, 2004.

KARP, J. A futile and stupid gesture: how Doug Kenney and National Lampoon changed comedy forever. Chicago: Chicago Review Press, 2006.

LUSTOSA, I. (org.). Imprensa, humor e caricatura: a questão dos estereótipos culturais. Belo Horizonte: EdUFMG, 2011.

LYCARIÃO, D.; MAIA, R. “Opacidade discursiva e erros na cobertura da COP-15: onde está a distorção sistemática?” In: Anpocs. Anais... Caxambu: Anpocs, 2014.

O GLOBO. “Facebook retira do ar duas páginas de apoio a Jair Bolsonaro”. In: O Globo, Brasil, 2 de abril de 2018. Disponível em: <https://goo.gl/q2AJRf>. Acesso em 29/05/2018.

ROSS, A.; RIVERS, D. “Discursive deflection: accusation of ‘fake news’ and the spread of mis- and disinformation in the tweets of president Trump”. Social Media + Society, v. 4 n. 2, 2018.

SHIFMAN, L.; WARD, S.; COLEMAN, S. “Only Joking? Online humour in the 2005 UK general election.” Information, Communication & Society, v. 10 n. 4, 2007.

SHIFMAN, L. Memes in digital culture. Cambridge: MIT Press, 2014.

TANDOC Jr., E.; WEI LIM, Z.; LING, R. “Defining ‘fake news’”. Digital Journalism, v. 6 n. 2, 2017.

TAY, G. Embracing LOLitics: popular culture, online political humor, and play. Christchurch: University of Canterbury, 2012. (Dissertação de Mestrado.)

TRENCH, B.; KNOWLTON, S. “Accuracy in journalism: a measure of performance? A determinant of trust?” In: Trust, Truth and Performance Conference. Annals... Londres: Trust Conference, 2009.

TUCHMAN, G. “Contando ‘estórias’.” In: TRAQUINA, N. (org.). Jornalismo: questões, teorias e ‘estórias’. Lisboa: Vega, 1999a.

TUCHMAN, G. “A objetividade como ritual estratégico: uma análise das noções de objectividade dos jornalistas.” In: TRAQUINA, N. (org.). Jornalismo: questões, teorias e ‘estórias’. Lisboa: Vega, 1999b.

VARGO, C.; GUO, L.; AMAZEEN, M. “The agenda-setting power of fake news: a big data analysis of the online media landscape from 2014 to 2016”. New Media & Society, v. 20 n. 5, 2017.

Publicado
2018-12-20
Como Citar
CHAGAS, V.; FREIRE, F. Quando o jornalismo político é uma piada. RuMoRes, v. 12, n. 24, p. 271-292, 20 dez. 2018.
Seção
Artigos