A negrura em representações visuais no jornal Folha de S.Paulo e suas implicações para a identidade cultural do negro no Brasil

Autores

  • Maria Ogécia Drigo Universidade de Sorocaba
  • Graziella Andreia Malagó Universidade de Sorocaba

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.1982-677X.rum.2021.180212

Palavras-chave:

Negrura, Negro, Representação visual

Resumo

Com o propósito de contribuir para a compreensão do processo de construção social da negrura, este artigo apresenta questões sobre a construção de identidade do Negro, conforme Mbembe e busca inventariar significados e valores relativos à negrura, postos em circulação pelas representações visuais do jornal Folha de S.Paulo. A amostra compõe-se de 215 representações visuais agrupadas em categorias e analisadas via estratégias da semiótica peirceana. Entre os resultados, enfatiza-se que a publicidade agrega significados à negrura, o que pode contribuir para que o processo de construção da identidade cultural do Negro vá além da estrutura de submissão vinculada à escravidão e à (re)atualização da tradição ou à experiência originária. Esta pesquisa é relevante para a comunicação, pois traz reflexões sobre práticas socioculturais vinculadas a produtos midiáticos e à negrura.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Maria Ogécia Drigo, Universidade de Sorocaba

Doutora em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), tem pós-doutorado em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) e docente do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba (Uniso).

Graziella Andreia Malagó, Universidade de Sorocaba

Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Uniso e docente na mesma instituição.

Referências

CHEVALIER, J.; GHEERBRANT, A. Dicionário de símbolos. Rio de Janeiro: José Olympio, 2008.

DRIGO, M. O.; SOUZA, L. Aulas de semiótica peirceana. São Paulo: Annablume, 2013.

FARINA, M. et al. Psicodinâmica das cores em comunicação. São Paulo: Edgard Blücher, 2006.

GIELOW, I. Punho cerrado é herança política do século XX. Folha de S.Paulo, São Paulo, 4 fev. 2014. Disponível em: https://bit.ly/3yPbpcb. Acesso em: 10 dez. 2021.

LACY, M. L. O poder das cores no equilíbrio dos ambientes. São Paulo: Pensamento, 1996.

MAISONAVE, F. Prefeitura infla número de acolhidos e nega acesso da Folha a abrigo. Folha de S.Paulo, São Paulo, 12 mar. 2019. Disponível em: https://bit.ly/3FuWmGM. Acesso em: 10 fev. 2020.

MBEMBE, A. Crítica da razão negra. Lisboa: Antígona, 2017.

PASTOUREAU, M. História de uma cor. São Paulo: Senac, 2011.

PEIRCE, C. S. The collected papers of Charles Sanders Peirce: elements of logic. Cambridge: Harvard University Press, 1932.

PEIRCE, C.S. The collected papers of Charles Sanders Peirce: pragmatism and pragmaticism. Cambridge: Harvard University Press, 1934.

RANGEL, S. et al. Carnaval tem público recorde, tons de laranja e polêmica. Folha de S.Paulo, São Paulo, 7 mar. 2019. Cotidiano. Disponível em: https://bit.ly/3qj41Se. Acesso em: 10 jan. 2020.

SANTAELLA, L. Semiótica aplicada. São Paulo: Cengage Learning, 2018.

SANTAELLA. L. O que é Semiótica? São Paulo: Brasiliense, 2011.

VARELLA, D. Mila fugiu de casa aos dez anos, viveu para o trabalho e a família e hoje sente orgulho. Folha de S.Paulo, São Paulo, 3 mar. 2019. Ilustrada. Disponível em: https://bit.ly/3H2b08X. Acesso em: 10 jan. 2020.

Downloads

Publicado

2021-12-29

Como Citar

DRIGO, M. O.; MALAGÓ, G. A. A negrura em representações visuais no jornal Folha de S.Paulo e suas implicações para a identidade cultural do negro no Brasil. RuMoRes, [S. l.], v. 15, n. 30, p. 106-129, 2021. DOI: 10.11606/issn.1982-677X.rum.2021.180212. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/Rumores/article/view/180212. Acesso em: 25 jun. 2022.

Edição

Seção

Dossiê