A escultura atual dos Makondes de Moçambique como uma visão de mundo.

Autores

  • Theophilos Rifiotis Universidade de São Paulo. Centro de Estudos Africanos. Universidade Federal da Paraíba. Departamento de Ciências Sociais

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.1994.109201

Palavras-chave:

Escultura - Makonde - Moçambique - Autenticidade - Arte tradicional - Visão de mundo.

Resumo

Este artigo discute a noção de “arte tradicional” e de “autenticidade”, correntes no discurso sobre a arte africana, a partir do estudo da arte escultórica dos WaMakonde do norte de Moçambique. Diferenciando-se da escultura dominante na África Austral, os Wa-Makonde, atualmente, esculpem segundo dois tipos básicos, chamados ujamaa e shetani, e utilizam o ébano como matéria-prima. Procura-se mostrar que esta arte, criada nos anos 50-60, é uma re-elaboração plástica de experiências coletivas e que ela pode ser considerada como uma visão de mundo na qual estão atualizados valores ancestrais.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

1994-12-19

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

RIFIOTIS, Theophilos. A escultura atual dos Makondes de Moçambique como uma visão de mundo. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, Brasil, n. 4, p. 153–166, 1994. DOI: 10.11606/issn.2448-1750.revmae.1994.109201. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revmae/article/view/109201.. Acesso em: 15 jun. 2024.