Análise de isótopos de carbono e nitrogênio: a dieta antes e após a presença de cerâmica no sítio Forte Marechal Luz

Autores

  • Murilo Q. R. Bastos Universidade Federal do Rio de Janeiro. Museu Nacional
  • Andrea Lessa Universidade Federal do Rio de Janeiro. Museu Nacional
  • Claudia Rodrigues-Carvalho Universidade Federal do Rio de Janeiro. Museu Nacional
  • Robert H. Tykot University of South Florida. Department of Anthropology
  • Roberto Ventura Santos Universidade de Brasília. Instituto de Geociências

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2014.109329

Palavras-chave:

Bioarqueologia, análises isotópicas, sambaqui, cerâmica.

Resumo

Nesse estudo foram realizadas análises de isótopos de carbono e nitrogênio de esmalte dentário e dentina de indivíduos sepultados em camadas sem e com cerâmica do sítio Forte Marechal Luz, localizado no litoral de Santa Catarina. Os resultados do colágeno da dentina sugerem que os indivíduos teriam uma dieta proteica rica em recursos marinhos durante o período de formação dos dentes analisados. No entanto, comparando períodos anteriores com posteriores à presença da cerâmica, observa-se uma leve tendência para resultados mais negativos no carbono nas camadas com cerâmica, indicando um maior consumo de recursos como plantas C3 e animais terrestres durante os períodos posteriores de ocupação do sítio e, consequentemente uma evidência de maior diversificação alimentar.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Referências

Allègre, C.J. 2008. Isotope Geology. Cambridge: Cambridge University Press.

Ambrose, S.H. 1993. Isotopic analysis of paleodiets: methodological and interpretive considerations. In: Sandford, M.K. (Ed.). Investigations of Ancient Human Tissue. Lang-home: Gordon and Breach. 59–130 pp.

Arnay-de-la-rosa, M.; González-Reimers, E.; Yanes, Y.; Velasco-Vázquez, J.; Romanek, C.S.; Noakes, J.E. 2010. Paleodietary analysis of the prehistoric population of the Canary Islands inferred from stable isotopes (carbon, nitrogen and hydrogen) in bone collagen. Journal of Archaeological Science, 37: 1490-1501.

Bandeira, D.R. 1992. Mudança na estratégia de subsistência do sítio arqueológico Enseada I – Um estudo de caso. Dissertação de Mestrado. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis.

Bandeira, D.R. 2004. Ceramistas pré-coloniais da Baía da Babitonga SC, Arqueologia e etnicida-de. Tese de Doutorado. Campinas: UNI-CAMP.Bastos, M. Q. R. 2014, Dos Sambaquis do sul do Brasil à diáspora africana: Estudos de geoquí-mica isotópica de séries esqueléticas humanas escavadas de sítios arqueológicos brasileiros. Tese de doutorado. Brasília: UNB.

Bastos, M.Q.R.; Mendonça de Souza, S.F.; Santos, R.V.; Lima, B.A.F.; Santos, R.V.; Rodrigues-Carvalho, C. 2011, Human mobility on the Brazilian coast: analisys of strontium isotopes in archaeological human remains from the sambaqui of Forte Marechal Luz. Anais da Academia Brasileira de Ciências 83(2): 731-743.

Beck, A.M. 1972. A variação do conteúdo cultural dos sambaquis: litoral de Santa Catarina. Tese de doutorado. São Paulo: Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, USP.

Bryan, A.L. 1977. Resumo da arqueologia do sambaqui de Forte Marechal Luz. Arquivos do Museu de História Natural 2: 9-30.

Bryan, A.L. 1993. The Sambaqui at Forte Ma-rechal Luz, State of Santa Catarina, Brazil. Corvallis: Center for the Study of the First Americans, Oregon State University.

Cerling, T.E.; Harris, J.M. 1999. Carbon isotope fractionation between diet and bioapatite in ungulate mammals and implications for ecological and paleoecological studies. Oecologia 120: 347–363.

Chmyz, I. 1976. A ocupação do litoral dos Esta-dos do Paraná e Santa Catarina por povos ceramistas. Revista de Estudos Brasileiros 1: 7-43.

Choy, K.; Richards M.P. 2010. Isotopic evidence of diet in the Middle Chulmun period: a case study from the Tongsamdong shell mi-dden, Korea. Archaeological Antrhopological Science 2: 1-10.

Colonese, A.C.; Collins, M.; Lucquin, A.; Eustace, M.; Hancock, Y.; Ponzoni, R.A.R.; Mora, A.; Smith, C.; DeBlasis, P.; Figuti, L.; Wesolowski, V.; Plens, C.R.; Eggers, S.; Fa-rias, D.S.E.; Gledhill, A.; Craig, O.E. 2014. Long-Term Resilience of Late Holocene Coastal Subsistence System in Southeastern South America. Plos One 9: e93854.

Criss, R.E. 1999. Principles of Stable Isotope Distri-bution. New York: Oxford University Press. DeBlasis, P.; Fish, S.K.; Gaspar, M.D.; Fish, P. 1998, Some references for the discussion of complexity among the sambaqui mound-builders from the southern shores of Brazil. Revista de Arqueologia Americana 15: 75-105.

DeMasi, M.A.N. 2001. Evolução da Dieta das Populações Pré-históricas da Costa Sul do Brasil, Santa Catarina. In: XI Congresso da Sociedade de Arqueologia Brasileira, Rio de Janeiro. Anais. XI Congrresso Sociedade de Arqueologia Brasileira 1-136.

Figuti, L. 1993. O homem pré-histórico, o molusco e o sambaqui: considerações sobre a subsistência dos povos sambaquieiros. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 3: 67-80.

Figuti, L.; Klökler, D.M. 1996. Resultados preliminares dos vestígios zooarqueológicos do Sambaqui Espinheiros II (Joinville, SC). Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 6: 169-187.

Gaspar, M.D. 1996. Análise das datações radio-carbônicas dos sítios de pescadores, coletores e caçadores. Boletim do Museu Paranaense Emí-lio Goeldi (série Ciências da Terra) 8: 81-91.

Gregoricka, L.A. 2013. Geographic origins and dietary transitions during the bronze age in the Oman peninsula. American Journal of Physical Anthropology 152(3): 353-369.

Hillson, S. 1996. Dental Anthropology. Cambrid-ge: Cambridge University Press.

Hubbe, M.; Neves, W.A.; Oliveira, E.C.; Strauss A. 2009. Postmarital residence practice in southern Brazilian coastal groups: Continu-ity and Change. Latin American Antiquity20(2): 267-278.

Hurt, W.R. 1974. The interrelationships between the natural environment and four sambaquis, coast of Santa Catarina, Brazil. Occasional Papers and Monographs nº1. Bloomington: Indiana University Museum.

Jim, S.; Ambrose, S.; Evershed, R.P. 2004. Stable carbon isotopic evidence for differ-ences in the dietary origin of bone choles-terol, collagen, and apatite: implications for their use in paleodietary reconstruction. Geochimica et Cosmochimica Acta 68: 61–72

Katzenberg, M.A.; Goriunova, O.; Weber, A. 2009. Paleodiet reconstruction of Bronze Age Siberians from the mortuary site of Khuzhir-Nuge XIV, Lake Baikal. Journal of Archaeological Science 36: 663-674.

Klökler, D. 2001. Construindo ou deixando um sambaqui? Análise de sedimentos. Região de Laguna-SC. Dissertação de Mestrado. Universidade de São Paulo, São Paulo.

Klökler, D. 2008. Food for Body and Soul: Mortuary Ritual in Shell Mounds (Laguna, Brazil). Tese de doutorado. Tucson: University of Arizona.

Krueger, H.W.; Sullivan, C.H. 1984. Models for carbon isotope fractionation between diet and bone. In Turnlund J.E., Johnson P.E (Eds.) Stable isotopes in Nutrition. Washington DC: American Chemical Society. 205-222.

Lee-Thorp, J.A.; Sealy, J.C.; Van Der Merwe, N.J. 1989. Stable carbon isotope ratio dif-ferences between bone collagen and bone apatite, and their relationship to diet. Journal of Archaeological Science 16: 585–99.

Lessa, A. 2005. Reflexões preliminares sobre paleoepidemiologia da violência em grupos ceramistas litorâneos: (I) Sítio Praia da Tapera – SC. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia 15: 199-207.

Lima, T.A. 1991. Dos mariscos aos peixes: um estudo zooarqueológico de mudança de subsistência na pré-história do Rio de Janeiro. Tese de Doutorado. São Paulo: USP.

Lima, T.A. 1999/2000. Em busca dos frutos do Mar: Os pescadores-coletores do litoral centro-sul do Brasil. Revista USP 44: 270-327.

Mendonça de Souza, S.; Carvalho, D.M.; Lessa, A. 2003 Paleoepidemiology: Is there a case to answer? Memórias do Instituto Oswaldo Cruz 98: 21- 27

Neves, W.A. 1988. Paleogenética dos grupos pré-históricos do litoral sul do Brasil (Paraná e Santa Catarina). Pesquisas (série Antropologia) 43.

Okumura, M.M.M. 2007. Diversidade morfológica craniana, micro-evolução e ocupação pré-histórica da costa brasileira. Tese de Doutorado.São Paulo: Instituto de Biociências, USP.

Prous, A. 1992. Arqueologia Brasileira. Brasília: Editora UnB.

Rohr, J. A. 1977. O sítio Arqueológico do Pântano do Sul SC – F – 10. Florianópolis: Governo do Estado de Santa Catarina.

Scheel-Ybert, R.; Eggers, S.; Wesolowski, V.; Petronilho, C.C.; Boyadjian, C.H.; DeBla-sis, P. 2003. Novas perspectivas na reconsti-tuição do modo de vida dos sambaquieiros: uma abordagem multidisciplinar. Revista de Arqueologia 16: 109-37.

Schmitz, P.I. 1996. Escavações arqueológicas do Pe. João Alfredo Rohr, S.J. – Visão de conjunto dos sítios da Tapera, Armação do Sul, Laranjeiras I e II, Pântano do Sul e Cabeçudas. Pesquisas (Série Antropologia) 53: 183-190.

Schmitz, P.I.; Verardi, I.; De Masi, M.A.; Rogge, J.H.; Jacobus, A.L. 1993. Escavações arqueológicas do Pe. João Alfredo Rohr, S.J. – O sítio da Praia de Laranjeiras II. Uma aldeia da Tradição ceramista Itararé. Pesquisas (Série Antropologia) 49.

Schmitz, P.I.; Bitencourt, A.L.V. 1996. O sítio arqueológico do Pântano do Sul. Pesquisas(Série Antropologia) 53: 77-124.

Schroeninger, M.J.; Deniro, M.J.; Tauber, H. 1983. Stable nitrogen isotope ratios reflect marine and terrestrial components of prehistoric human diet. Science 220: 1381-383.

Schoeninger, M.J.; Deniro, M.J. 1984. Nitro-gen and carbon isotope composition of bone collagen from marine and terrestrial animals. Geochimica et Cosmochimica Acta48: 625-639.

Schwarcz, H.P. 1991. Some theoretical aspects of isotope paleodiet studies. Journal of Archaeo-logical Science 18: 261-275.

Silva, S.B.; Schmitz, P.J.; Rogge, J.H.; De Masi, M.A.; Jacobus, A.L. 1990. Escavações arqueológicas do Pe. João Alfredo Rohr, S.J. – O sítio arqueológico da Praia da Tapera: um assentamento Itararé e Tu-piguarani. Pesquisas (Série Antropologia) 45.

Smith B.N., Epstein S. 1971. Two categories of 13C/12C ratios for higher plants. Plant Physiology 47:380–384.

Taylor, R.E. 1992. Radiocarbon dating of bone: to collagen and beyond. In: Taylor, R.E., Long, A., Kra, R.S. (Eds.), Radiocarbon Dating After Four Decades. Berlin: Springer. 375–402 pp.

Tenório, M.C. 1995. Estabilidade dos grupos litorâneos pré-históricos: uma questão para ser discutida. In: Beltrão, M. (Ed.) Arqueo-logia do Estado do Rio de Janeiro. Niterói: Ar-quivo Público do Estado do Rio de Janeiro. 43-50 pp.

Tiburtius, G.; Bigarella, I.K.; Bigarella, J.J. 1950/51. Nota prévia sobre a jazida pa-leoetnográfica de Itacoara (Joinvile, Estado de Santa Catarina). Arquivos de Biologia e Tecnologia V/VI: 315-366.

Tykot, R.H.; Falabella, F.; Planella, M.T.; Aspillaga, E.; Sanhueza, L.; Becker, C. 2009. Stable isotopes and archaeology in central Chile: methodological insights and interpretative problems for dietary reconstruction. International Journal of Osteoarchaeology 19: 156-170.

Wesolowski, V. 2007. Cáries, desgaste, cálculos dentários e micro-resíduos da dieta entre grupos pré-históricos do litoral norte de Santa Catarina: É possível comer amido e não ter cárie? Tese de doutorado. Rio de Janeiro: Escola Nacional de Saúde Pública, FIOCRUZ.

Yoder, C. 2010. Diet in medieval Denmark: a regional and temporal comparison. Journal of Archaeological Science 37: 2224-36.

Downloads

Publicado

2023-10-25

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

BASTOS, Murilo Q. R.; LESSA, Andrea; RODRIGUES-CARVALHO, Claudia; TYKOT, Robert H.; SANTOS, Roberto Ventura. Análise de isótopos de carbono e nitrogênio: a dieta antes e após a presença de cerâmica no sítio Forte Marechal Luz. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, Brasil, n. 24, p. 137–151, 2023. DOI: 10.11606/issn.2448-1750.revmae.2014.109329. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revmae/article/view/109329.. Acesso em: 27 maio. 2024.