Um conto de três cidades

a Urbs; Ammaia, a colônia ex nihilo; e Conimbriga, a adaptação dos oppida lusitanos

  • Irmina Doneux Santos Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia. Laboratório de Roma Provincial
Palavras-chave: Lusitania, Ammaia, Conimbriga, Fóruns romanos, Urbanização romana

Resumo

Quando tratamos da análise da materialidade da arquitetura urbana no Mundo Romano, no Período Imperial, buscando entender as práticas de ocupação dos espaços, tanto na cidade de Roma quanto nas províncias, lidamos com um universo material quase tão amplo quanto o próprio Mundo Antigo, se pensarmos na extensão geográfica que o Império atingiu. Faz-se necessário, portanto, para fins de pesquisa e didáticos, estabelecer delimitações, espaciais, temporais e materiais. Também é preciso lidar, especificamente no caso da Lusitania, com a escassez das informações arqueológicas disponíveis. Embora as novas tecnologias disponíveis propiciem avanços nas pesquisas e igualmente novos desafios, pois despertam novas questões a serem respondidas pela cultura material, é preciso também que tais tecnologias sejam efetivamente aplicadas ao território da antiga Lusitania para que possamos utilizá-las. Neste trabalho, pretende-se, através do estudo dos fóruns de duas cidades provinciais romanas – Ammaia e Conimbriga (respectivamente, fundações ex nihilo e adaptação de assentamento pré-romano), escolhidas por apresentarem histórias de implantação e de pesquisa arqueológica distintas – tentar determinar alguns dos padrões de apropriação dos espaços coloniais pelos romanos na Lusitania. Embora o estudo da Lusitania romana sofra pela limitação imposta pela escassez dos dados arqueológicos disponíveis e/ou publicados, foi possível observar a existência de um padrão na urbanização introduzida por Roma, que é visível nos fora e demais elementos urbanos, distinto do antigo urbanismo local pré-existente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Irmina Doneux Santos, Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia. Laboratório de Roma Provincial

Mestre e doutora pelo MAE-USP. Pesquisadora Associada do Laboratório de Arqueologia Romana Provincial, LARP-MAE/USP

Referências

Alarcão, A.M. 1995. Ruínas de Conimbriga. 4. ed. revista. Instituto Português de Museus, s.l. (Roteiros da Arqueologia Portuguesa; 2).

Alarcão, J.; Etienne, R. (Dir.). 1977. Fouilles de Conimbriga. I Architecture. Diffusion E. De Boccard, Paris.

Alarcão, J.; Etienne, R.; Golvin, J.-C. 1994. Conimbriga. A maqueta do centro monumental flaviano. Insti¬tuto Português de Museus; Museu Monográfico de Conimbriga, Conimbriga [edição bilíngue].

Almagro-Gorbea, M. 1995. Urbanismo de la Hispania ‘Celtica’. Castros y oppida del centro y occidente de la Península Ibérica. In: Almagro-Gorbea, M.; Martín Bravo, A. M. (Eds.) Castros y Oppida en Extremadura. (Complutum, Extra 4; Publicaciones del departamento de Prehistoria y Etnología de la Universidad Complutense de Madrid). Complutense, Madri: 13-75.

Balty, J.-Ch. 1991. Curia Ordinis. Recherches d’architecture et d’urbanisme antiques sur les curies provin¬ciales du monde romain. ACADÉMIE Royale de Belgique. Mémoires de la Classe des Beaux-Arts (Collection in-4º - 2e série, T. XV - fascicule 2). Palais des Académies, Bruxelles.

Brown, F.E. 1980. Cosa: the making of a Roman town. University of Michigan Press, Ann Arbor.

Burillo Mozota, F. 2009. Origen y Desarollo de la Ciudad en la Celtiberia. In: Mateos P.; Celestino, S.; Pizzo, A.; Tortosa, T. (Eds.) Santuários, Oppida y Ciudades: Arquitectura Sacra en el Origen y Desarrolo Urbano del Mediterráneo Occidental. Consejo Superior de Investigaciones Científicas, Mérida; Instituto de Arqueología de Mérida. (Anejos AEspA – Anejos de Archivo Español de Arqueología, XLV): 175-193.

Carvalho, P. C. 1998. O Fórum de Aeminium. Ministério da Cultura; Instituto Português de Museus, Coimbra.

Collins, R. (1998). Spain. An Oxford Archaeological Guide. Oxford University Press (Oxford Archaeological Guides), Oxford; Nova York.

Congès, A. R. (1987). L’hypothèse d’une basilique à deux nefs à Conimbriga et les transformations du fórum. Mélanges de l’Ecole Française de Rome. Antiquité, t. 99, n. 2: 711-751.

Correia, V. H. 2009a. O Forum de Conimbriga e a evolução do centro urbano. In: Nogales Basarrate, T. (Ed.) Ciudad y foro en Lusitania Romana/Cidade e foro na Lusitânia Romana. Stvdia Lusitana, 4, Mérida: 89-105.

Correia, V. H. 2009b. Os espaços forais de Conimbriga. In: In: Mateos P.; Celestino, S.; Pizzo, A.; Tortosa, T. (Eds.) Santuários, Oppida y Ciudades: Arquitectura Sacra en el Origen y Desarrolo Urbano del Mediterráneo Occidental. Consejo Superior de Investigaciones Científicas, Mérida; Instituto de Arqueología de Mérida. (Anejos AEspA – Anejos de Archivo Español de Arqueología, XLV): 397-406.

Correia, V. H. 2010a. A Arquitectura Doméstica de Conimbriga e as Estruturas Económicas e Sociais da Cidade Romana. Tese de Doutoramento em História, Especialidade em Arqueologia apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra sob a orientação do Prof. Doutor Jorge de Alarcão.

Correia, V. H. 2010b. Conquista Romana e Residências da população. In: Costa, P.; Moreira, C. (Dir.) Cidade Escondida, Conimbriga. Documentário. Portugal: Produção PCCA.

Correia, V. H. 2011a. Três leituras sobre o fórum de Conimbriga. In: Perspectivas sobre Conimbriga: Actualização Bibliográfica. Disponível em: <https://www.academia.edu/1741984/Treslei-turas_sobre_o_forum_de_Conimbriga>. Acesso em 23/12/2013.

Correia, V. H. 2011b. Metropolitan artistic models in Lusitania: the examples of the domestic architecture of Conimbriga (Portugal). In: Nogale, T.; Rodà, I. (Eds.) Roma y las Provincias: modelo y difusión (Vol. II). Roma, “L’Erma” di Breschneider (Hispania Antigua, Serie Arqueológica, 3): 681-691.

Correia, V. H. 2012?. A Memória das Pedras. Retrospectiva Fotográfica de Conimbriga 1930-1970. Conimbriga: Museu Monográfico de Conimbriga.

Correia, V. H.; De Man, A. 2010. Variação e Constância na Ocupação de Conimbriga e do seu Território. In: Corsi, C.; Vermeulen, F. (Eds.) Changing Landscape. The impact of Roman towns in the Western Mediterranean. Proceedings of the International Colloquium, Castelo de Vide - Marvão 15th-17th May 2008. Ante Quem, Bologna: 299-310.

Corsi, C. 2013a. A descoberta de Ammaia e a sua história segundo fontes antigas. In: Fischer, C. (Ed.) Ammaia: a Roman Town in Lusitania/Ammaia: Uma cidade romana na Lusitânia. Radio-Past-Radiography of the Past. Universidade de Évora, Évora: 10-15.

Corsi, C. 2013b. Os resultados mais recentes. In: Fischer, C. (Ed.) Ammaia: a Roman Town in Lusi-tania/Ammaia: Uma cidade romana na Lusitânia. Radio-Past-Radiography of the Past. Universidade de Évora, Évora: 26-31.

Corsi, C. 2013c. O fórum de Ammaia. In: Fischer, C. (Ed.) Ammaia: a Roman Town in Lusitania/7 Ammaia: Uma cidade romana na Lusitânia. Radio-Past-Radiography of the Past. Universidade de Évora, Évora: 32-35.

Fabião, C. 2009a. Modelos Forenses nas Cidades da Lusitania: Balanço e Perspectiva. In: Nogales Basarrate, T. (Ed.) Ciudad y foro en Lusitania Romana/Cidade e foro na Lusitânia Romana. Stvdia Lusitana, 4, Mérida: 343-359.

Fabião, C. 2009b. A dimensão atlântica da Lusitânia: periferia ou charneira do Império Romano? In: Gorges, J-G.; Encarnação, J. d’; Nogales Basarrate, T.; Carvalho, A. (Eds.) Lusitânia Romana: entre o mito e a realidade. Actas da VI Mesa-Redonda Internacional sobre a Lusitânia Romana. Cascais, 4 a 6 de Novembro de 2004. Cascais: Câmara Municipal de Cascais: 53-74.

Fabião, C. 2013. “Criando a rede de centros urbanos na Lusitania”. Curso de Difusão. Museu de Arqueologia e Etnologia, MAE-USP.

Favro, D. G. 1996. The Urban Image of Augustan Rome. Cambrigde University Press, Cambridge.

Georges, J.-G. (Ed.) 1990. Les villes de Lusitanie Romaine : hiérarchies et territoires. Talence, 1988; Actas das Mesas-redondas internacionais sobre a Lusitânia Romana, 1. Centre National de Recherche Scientifique (CNRS), Paris. (Collection de la Maison des Pays Ibérique; 42).

Le Roux, P. 2014. Les territoires romains du Portugal au Haut-Empire. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia - MAE/USP, suplemento 19.

Mantas, V. G. 2009. Ammaia e Civitas Igaeditanorum. Dois espaços forenses lusitanos. In: Nogales Basarrate, T. (Ed.) Ciudad y foro en Lusitania Romana/Cidade e foro na Lusitânia Romana. Stvdia Lusitana, Mérida, 4: 167-188.

Pereira, S. 2009. A Cidade Romana de Ammaia. Escavações Arqueológicas 2000-2006. Câmara do Município de Marvão: Colibri (Ibn Maruán, Revista Cultural do Concelho de Marvão. Câmara do Município de Marvão: Colibri; número especial, II).

Santos, I. D. 2006. A Basilica como elemento de urbanização na Gallia Comata no período de dominação romana. Dissertação (Mestrado em Arqueologia). Museu de Arqueologia e Etnologia; Universidade de São Paulo.

Santos, I. D. 2013. A Lusitania e a Iberia: um estudo da mudança na urbanização pré e pós-romanização (da pré-conquista romana ao Baixo Império – séculos II a.C. a V d.C.). Ed. revisada após defesa. Tese (doutorado em Arqueologia). Museu de Arqueologia e Etnologia; Universidade de São Paulo.

Taelman, D. 2013. Ammaia - Porta Sul. In: Fischer, C. (Ed.) Ammaia: a Roman Town in Lusitania/Ammaia: Uma cidade romana na Lusitânia. Radio-Past-Radiography of the Past. Universidade de Évora, Évora: 40-43.

Taelman, D.; Vermeulen, F.; De Dapper, M. Corsi, C. Meyer, C. Plesnicar, R. Bosman, A. De Paepe, P. Deprez, S. 2013. Roman Towns and Their Landscape: a geoarchaeological study of the suburban landscape of Ammaia (Portugal). In: Vermeulen, F.; Corsi, C. (Eds.) Non-Destructive Approaches to Complex Archaeological Sites in Europe: a round-up Radio-Past Colloquium, Ghent, 15-17 January 2013. Ghent University. Disponível em: Disponível em: <https://www.researchgate.net/publication/288141596_Non-destructive_approaches_to_complex_archaeological_sites_in_Europe_a_round-up_Radio-Past_colloquium_Ghent_15-17_January_Ghent_University>. Acesso em: 18 Jun. 2019.

Vermeulen, F. 2013. Ammaia no Contexto da Lusitania. In: Fischer, C. (Ed.) Ammaia: a Roman Town in Lusitania/Ammaia: Uma cidade romana na Lusitânia. Radio-Past-Radiography of the Past. Universidade de Évora, Évora: 7-9.

Vermeulen, F.; Corsi, C.; De Dapper, M. 2012. Surveying the Townscape of Roman Ammaia in Portugal: An Integrated Geoarchaeological Investigation of the Forum Area. Geoarchaeology: An International Journal, 27: 123–139.

Ward-Perkins, J. B. 1974. Cities of Ancient Greece and Italy: Planning in Classical Antiquity. Sidgwick & Jackson, London.

Zanker, P. 1992. Augusto y el poder de las imágines. Trad. Pablo Diener Ojeda; revisão técnica Walter Tullmich. Alianza, Madri [Augustus und die Macht der Bilder. München, 1987].

Zanker, P. 2000. The city as symbol: Rome and the creation of an urban image. In: Fentress, E. (Ed.) Romanization and the City: Creation, Transformations, and Failures. Proceedings of a conference held at the American Academy in Rome to celebrate the 50th anniversary of the excavations at Cosa, 14-16 May, 1998. Portsmouth, Rhode Island (Journal of Roman Archaeology; suppl. series; 38): 25-41.

Publicado
2019-11-21
Como Citar
Santos, I. (2019). Um conto de três cidades. Revista Do Museu De Arqueologia E Etnologia, (32), 57-78. https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2019.164233