“Nossas coleções pertencem a vocês também”: Uma análise da exposição “Objects of Wonder” do National Museum of Natural History

Autores

  • Rebeca Ribeiro Bombonato Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2022.188397

Palavras-chave:

Objects of Wonder, Exposição, National Museum of Natural History, Comunicação museológica

Resumo

Para quem o museu é feito? Essa pergunta pode causar grandes debates dentro da sociedade civil, mas como os museus abordam esse tema? O museu foi criado para ser visitado, para se comunicar com o público, e para ser um local onde possa existir uma troca de experiências. O museu não apenas pesquisa e preserva, mas comunica tais conhecimentos. As inúmeras pesquisas realizadas em um museu contribuem para o desenvolvimento dos saberes humanos, mas qual é o real alcance desse conhecimento? Permaneceria ele contido dentro dos muros do museu e da Academia? É pensando nesse alcance que situamos a exposição “Objects of Wonder” no National Museum of Natural History em Washington DC. Aberta para visitação em 2017, esta exposição tem por objetivo mostrar ao visitante a origem e uso dos objetos que fazem parte das coleções sob a guarda do museu. Por meio de vitrines temáticas, a exposição apresenta ao visitante os diferentes departamentos do museu e como os conhecimentos são gerados pelas coleções. O presente artigo faz uma análise desta exposição, desde sua estrutura até os discursos envolvidos, com especial ênfase na função comunicacional dos museus.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Biografia do Autor

  • Rebeca Ribeiro Bombonato, Universidade de São Paulo. Museu de Arqueologia e Etnologia

    Museóloga com mestrado pela Universidade de São Paulo. Sou formada em Geociências e Educação Ambiental (também pela USP) e Bacharel em Hotelaria pelo SENAC. Estagiei no Museu de Zoologia da Universidade de São Paulo por um ano no setor de Museologia, no Museu Nacional de História Natural em Washington D.C. (Smithsonian Institution) por três meses, e na Galeria de Paleontologia e Anatomia Comparada do Museu Nacional de História Natural em Paris por dois meses. Minha formação diversificada é centrada no atendimento e na experiência de diferentes públicos em diversos ambientes, assim como seu relacionamento com a divulgação científica. Doutoranda no Programa de Arqueologia da Universidade de São Paulo, sua pesquisa é focada na divulgação da ciência através de exposições em museus, na divulgação cultural/científica de comunidades indígenas no mundo.

Referências

BENCHETRIT, Sarah Fassa. Os museus e a comunicação. In: MAGALHÃES, Aline Montenegro; BEZERRA, Rafael Zamorano; BENCHETRIT, Sarah Fassa (eds.). Museu e comunicação: exposições como objeto de estudo. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2010, p.11-15.

BERGERON, Yves. Los museos y la crisis: tendencias en los museos norteamericanos. Revista de la Subdirección General de Museos Estatales, n. 5-6, 2009-2010, p.58-67.

BOMBONATO, Rebeca Ribeiro. Duas leis, um museu: o caso do National Museum of the American Indian, o Native American Graves Protection and Repatriation Act e o National Museum of the American Indian Act. Revista de Arqueologia, v. 33, n. 3, p. 242–256, 2020.

CURY, Marília Xavier. Museus em transição. In: SISEM SP - Sistema Estadual de Museus. (Org.). Museus - O que são, para que servem? Bodowski: ACAM Portinari, Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, 2011, v. , p. 17-28.

CURY, Marília Xavier. Comunicação museológica: uma perspectiva teórica e metodológica de recepção. Tese de doutorado, Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo, 2005.

DAVALLON, Jean. Comunicação e sociedade: pensar a concepção da exposição. In: MAGALHÃES, Aline Montenegro; BEZERRA, Rafael Zamorano; BENCHETRIT, Sarah Fassa (eds.). Museu e comunicação: exposições como objeto de estudo. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 2010, p.16-34.

DIAS, Juliana Braz. Histórias contadas: análise de uma experiência entre os Anishinabe. Horizonte Antropológico, n 53, 2019, p.257-281

ESTADOS UNIDOS. Public Law 101-601 -Native American Graves Protection and Repatriation Act. Washington DC, Novembro 1990. Disponível em https://www.govinfo.gov/content/pkg/STATUTE-104/pdf/STATUTE-104-Pg3048.pdf. Acessado em 04/09/2020.

FERGUSON, Bruce W. Exhibition rhetorics: material speech and utter sense. GREENBERG, Reesa; FERGUSON, Bruce W.; NAIRNE, Sandy (eds.). Thinking about exhibitions. Routhledge: Londres, 1996.

HOOPER-GREENHILL, Eilean. Museums and their visitors. Routhledge: Londres, 1994.

KEENE, Suzanne. Fragments of the world: uses of museum collections. Elsevier Butterworth-Heinemann: Oxford, 2005

LIMA, Leilane Patricia de. A arqueologia e o patrimônio arqueológico indígena em exposições museais no centro-oeste de São Paulo e norte do Paraná: questões preliminares. In: CURY, Marília Xavier. Direitos indígenas no museu: novos procedimentos para uma nova política – a gestão de acervos em discussão. São Paulo: Secretaria da Cultura; ACAM Portinari; Museu de Arqueologia e Etnologia/USP, 2016. p. 115- 127.

LIMA, Leilane Patricia de. A comunicação em museus e a temática indígena em exposições: questões gerais e desafios atuais. In: CURY, Marília Xavier. Museus etnográficos e indígenas: aprofundando questões, reformulando ações. São Paulo: SEC; ACAM Portinari; MAE-USP, 2020. p. 201-218.

LIVNE, Inbal. Nature and culture in museums: an introduction. Journal of Museum Ethnography, n. 29, 2016, p.3-10.

McKEOWN, C.Timothy; HUTT, Sherry. In the smaller scope of conscience: the Native American Graves Protection & Repatriation Act twelve years after. UCLA Journal of Environmental Law and Policy, v.21, n.3, p. 153-212, 2003.

OBJECTS OF WONDER. Acessado em 15/06/2021. Disponível em <https://naturalhistory2.si.edu/vt3/NMNH/z_tour-146.html>.

OEHSER, Paul H.; HESKETT, Louise. The Smithsonian Institution. 2 ed. Routledge: Nova Iorque, 2019.

SHEETS-PYENSON, Susan.'Cathedrals of science: the development of colonial natural history museums during the late nineteenth century'. History of Science, n.25, 1986, pp. 279-300.

SMITHSONIAN INSTITUTION. A brief history of NMNH. Acessado em 23/06/2021a. Disponível em: <https://naturalhistory.si.edu/about>.

SMITHSONIAN INSTITUTION. Forensic Anthropology. Acessado em 23/06/2021b. Disponível em: <https://naturalhistory.si.edu/education/teaching-resources/written- bone/forensic-anthropology>.

WEIL, Stephen. Rethinking the museum and other meditations. Smithsonian Institution Press: Washington D.C, 1990, p. 57–61.

ZAVALA Lauro. La educación y los museos en una cultura del espetáculo. In: ENCUENTRO NACIONAL ICOM/CECA MÉXICO. La educación dentro del museo, nuestra propria educación, 2, 2001, Zacatecas, Memoria: ICOM México/CECA, 2003, p.19-31.

Downloads

Publicado

2022-02-07

Como Citar

BOMBONATO, Rebeca Ribeiro. “Nossas coleções pertencem a vocês também”: Uma análise da exposição “Objects of Wonder” do National Museum of Natural History. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, Brasil, n. 39, p. 111–127, 2022. DOI: 10.11606/issn.2448-1750.revmae.2022.188397. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revmae/article/view/188397.. Acesso em: 24 abr. 2024.