Reflexões preliminares sobre paleoepidemiologia da violência em grupos ceramistas litorâneos: (I) Sítio Praia da Tapera – SC

Autores

  • Andrea Lessa Fundação Oswaldo Cruz. Escola Nacional de Saúde Pública

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2006.89719

Palavras-chave:

Paleoepidemiologia, Trauma agudo, Violência, Grupos ceramistas, Litoral, Santa Catarina.

Resumo

Foram analisados os traumas agudos associados à violência na amostra esquelética do sítio Praia da Tapera (SC), composta por 71 indivíduos adultos de ambos os sexos. Os traumas considerados foram as fraturas no crânio, na face e na ulna, e as lesões causadas por pontas de projétil. Apenas os indivíduos associados ao segundo momento de ocupação do sítio apresentaram traumas, tendo sido os homens mais afetados do que as mulheres (17,2% e 3,8% respectivamente). As interpretações ainda preliminares para a ocorrência dos conflitos estão relacionadas a elementos ideológicos e padrão de subsistência em uma perspectiva geral. Uma reflexão mais particular para o sítio relacionou os conflitos à sua localização estratégica, ou ainda à tentativa de rapto de mulheres.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2006-12-14

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

LESSA, Andrea. Reflexões preliminares sobre paleoepidemiologia da violência em grupos ceramistas litorâneos: (I) Sítio Praia da Tapera – SC. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, Brasil, n. 15-16, p. 199–207, 2006. DOI: 10.11606/issn.2448-1750.revmae.2006.89719. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revmae/article/view/89719.. Acesso em: 14 jun. 2024.