Uma Fisiologia da Paisagem II: Percepção e Movimento

Autores

  • José Roberto Pellini Universidade Católica de Goiás. Instituto de Pre-História e Antropologia (IGPA); Griphus Consultoria em Arqueologia

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2008.89826

Palavras-chave:

GIS, Percepção, Movimento, Paisagem

Resumo

Pensando que percepção é uma função do movimento, podemos dizer que a maneira com a qual os indivíduos percebem seu entorno depende de como elas se movem no meio. Se através do movimento os indivíduos alteram sua percepção do espaço, a dimensão espacial em arqueologia pode ser conceituada a partir dos perfis de mobilidade dos indivíduos. Hoje em dia as metodologias de análise em GIS possibilitam a reconstrução dos padrões de mobilidade humana utilizando as mais recentes pesquisas em fisiologia do movimento e as chamadas análises de visibilidade. Isto possibilita o desenvolvimento de abordagens que privilegiam aspectos cognitivos relacionados à percepção e movimento e, assim, a criação de ferramentas no GIS que vão além das noções cartesianas de espaço.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2008-12-09

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

PELLINI, José Roberto. Uma Fisiologia da Paisagem II: Percepção e Movimento. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, Brasil, n. 18, p. 3–18, 2008. DOI: 10.11606/issn.2448-1750.revmae.2008.89826. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revmae/article/view/89826.. Acesso em: 16 abr. 2024.