A importância do controle climático em museus

Autores

  • Kwok Chiu Cheung Universidade Católica Dom Bosco. Departamento de Conservação e Pesquisa do Museu das Culturas Dom Bosco

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2448-1750.revmae.2008.89842

Palavras-chave:

Conservação, Higienização, Infestação biológica, Fungos

Resumo

Entre os principais fatores climáticos que causam interferência nas coleções e devem ser controlados pelo sistema de climatização estão à temperatura, umidade absoluta, saturação e a condensação. Durante o monitoramento do acervo etnográfico exposto no Museu das Culturas Dom Bosco verificou-se a ocorrência de infestação causada por fungos. A presença desses organismos indicou que os artefatos estavam susceptíveis a danos permanentes e de difícil restauração, devido à rápida taxa de reprodução desses organismos em condições favoráveis e ao modo pelo qual utilizam o substrato para alimentação. Desse modo, a equipe administrativa, junto à equipe técnica, decidiu antecipar a instalação do sistema de climatização do salão de exposição permanente. Além da instalação dos climatizadores foram estabelecidas várias medidas associadas ao controle e manutenção da temperatura e umidade estabelecidas.

Downloads

Os dados de download ainda não estão disponíveis.

Downloads

Publicado

2008-12-09

Edição

Seção

Artigos

Como Citar

CHEUNG, Kwok Chiu. A importância do controle climático em museus. Revista do Museu de Arqueologia e Etnologia, São Paulo, Brasil, n. 18, p. 299–306, 2008. DOI: 10.11606/issn.2448-1750.revmae.2008.89842. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/revmae/article/view/89842.. Acesso em: 16 jun. 2024.