Impacto da cognição, funcionalidade e força de indivíduos com doença de Alzheimer sobre a qualidade de vida do cuidador

Autores

  • Fernanda Gaideski Complexo do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná
  • Sandra Regina Socha Complexo do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná
  • Ana Angélica Tsingos Ramos Complexo do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Paraná
  • Sibele Yoko Mattozo Takeda Universidade Federal do Paraná - UFPR

DOI:

https://doi.org/10.11606/issn.2317-0190.v28i1a176043

Palavras-chave:

Doença de Alzheimer, Qualidade de Vida, Cuidadores

Resumo

As demandas de cuidados na Doença de Alzheimer podem influenciar no cotidiano do cuidador.  Objetivo: Avaliar se o comprometimento cognitivo, funcional e motor do indivíduo com a doença influenciam na qualidade de vida do cuidador. Método: Estudo transversal, do qual participaram 27 indivíduos com Doença de Alzheimer e seus cuidadores. A qualidade de vida do cuidador foi avaliada pelo questionário Quality of Life-AD, a cognição do paciente foi verificada pela Clinical Dementia Rating, a funcionalidade pela Medida de Independência Funcional, mobilidade pelo Timed Up and Go e a força muscular pela força de preensão manual. A associação entre as variáveis foi realizada pelos testes Kruskal-Wallis e exato de Fisher ou pelos testes de correlação de Pearson ou Spearman, considerando p≤0,05. Resultado: Observou-se associação entre a cognição do indivíduo com Doença de Alzheimer e qualidade de vida do cuidador (p= 0,026) e correlação entre a funcionalidade do paciente e qualidade de vida do cuidador (p= 0,031). Conclusão: Os aspectos de qualidade de vida afetados pela cognição, função e mobilidade, são: disposição, capacidade para fazer atividades de lazer e a vida em geral. Percebe-se a necessidade de se pensar em estratégias que representem suporte profissional para a capacitação e desempenho de cuidados.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Menezes JNR, Costa MPM, Iwata ACNS, Araujo PM, Oliveira LG, Souza CGD, et al. A visão do idoso sobre o seu processo de envelhecimento. Rev Contexto Saúde. 2018;18(35):8-12. Doi: https://doi.org/10.21527/2176-7114.2018.35.8-12

Araújo AMGD, Lima DO, Nascimento IP, Almeida AAF, Rosa MRD. Linguagem em idosos com doença de Alzheimer: uma revisão sistemática. Rev CEFAC. 2015; 17(5):1657-63. Doi: https://doi.org/10.1590/1982-021620151754215

Selkoe DJ. Alzheimer's disease: genes, proteins, and therapy. Physiol Rev. 2001;81(2):741-66. Doi: https://doi.org/10.1152/physrev.2001.81.2.741

Frota NAF, Nitrini R, Damasceno BP, Forlenza OF, Dias-Tosta E, Silva ABS, et al. Critérios para o diagnóstico de doença de Alzheimer. Dement Neuropsychol. 2011; 5(1):5-10. Doi: https://doi.org/10.1590/S1980-57642011DN05030002

Borghi AC, Sassá AH, Matos PCB, Decesaro MN, Marcon SS. Qualidade de vida de idosos com doença de Alzheimer e de seus cuidadores. Rev Gaúcha Enferm 2011; 32(4):751-8. Doi: https://doi.org/10.1590/S1983-14472011000400016

Veras RP, Caldas CP, Dantas SB, Sancho LG, Sicsú B, Motta LB, Cardinale C. Avaliação dos gastos com o cuidado do idoso com demência. Rev Psiquiatr Clín. 2007; 34(1):5-12. Doi: https://doi.org/10.1590/S0101-60832007000100001

Paula JA, Roque FP, Araújo FS. Qualidade de vida em cuidadores de idosos portadores de demência de Alzheimer. J Bras Psiquiatr. 2008; 57(4):283-7. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0047-20852008000400011

The World Health Organization Quality of Life assessment (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Soc Sci Med. 1995;41(10):1403-9. Doi: http://dx.doi.org/10.1016/0277-9536(95)00112-k

Pavarini SCI, Melo LC, Silva VM, Orlandi FS, Mendiondo MSZ, Filizola CLA. Cuidando de idosos com Alzheimer: a vivência de cuidadores familiares. Rev Eletr Enferm 2008;10(3):580-90. Doi: https://doi.org/10.5216/ree.v10.46488

Inouye K, Pedrazzani ES, Pavarini SCL. Implicações da doença de Alzheimer na qualidade de vida do cuidador: um estudo comparativo. Cad Saúde Pública 2010; 26(5): 891-9. Doi: https://doi.org/10.1590/S0102-311X2010000500011

Garrido R, Menezes PR. Impacto em cuidadores de idosos com demência atendidos em um serviço psicogeriátrico. Rev Saude Publica 2004;38(6):835-41. Doi: https://doi.org/10.1590/S0034-89102004000600012

Pinto MF, Barbosa DA, Ferreti CEL, Souza LF, Fram DS, Belasco AGS. Qualidade de vida de cuidadores de idosos com doença de Alzheimer. Acta Paul Enferm. 2009;22(5):652-7. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0103-21002009000500009

World Health Organization. Global action plan on the public health response to dementia 2017-2025 [monograph on the Internet]. Geneva: WHO; 2017 [cited 2021 Jan 10]. Available from: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/259615/9789241513487-eng.pdf?sequence=1

Novelli MMPC. Validação da escala de qualidade de vida (Qdv-Da) para pacientes com doença de Alzheimer e seus respectivos cuidadores/familiares [Tese]. São Paulo: Universidade de São Paulo; 2006.

Morris JC. The Clinical Dementia Rating (CDR): current version and scoring rules. Neurology. 1993;43(11):2412-4. Doi: http://dx.doi.org/10.1212/wnl.43.11.2412-a

Riberto M, Miyazaki MH, Jorge Filho D, Sakamoto H, Battistella LR. Reprodutibilidade da versão brasileira da Medida de Independência Funcional. Acta Fisiátr. 2001;8(1):45-52. Doi: https://doi.org/10.5935/0104-7795.20010002

Podsiadlo D, Richardson S. The timed "Up & Go": a test of basic functional mobility for frail elderly persons. J Am Geriatr Soc. 1991;39(2):142-8. Doi: https://doi.org/10.1111/j.1532-5415.1991.tb01616.x

Bischoff HA, Stähelin HB, Monsch AU, Iversen MD, Weyh A, von Dechend M, et al. Identifying a cut-off point for normal mobility: a comparison of the timed 'up and go' test in community-dwelling and institutionalised elderly women. Age Ageing. 2003;32(3):315-20. Doi: https://doi.org/110.1093/ageing/32.3.315

Figueiredo IM, Sampaio RF, Mancini MC, Silva FCM, Souza MAP. Teste de força de preensão utilizando o dinamômetro Jamar. Acta Fisiatr. 2007;14(2):104-10. Doi: https://doi.org/10.5935/0104-7795.20070002

Silva N, Menezes TN. Associação entre cognição e força de preensão manual em idosos: revisão integrativa. Ciênc Saúde Coletiva 2016; 21(11):3611-20. Doi: http://dx.doi.org/10.1590/1413-812320152111.22872015

Yuaso D. Treinamento de cuidadores familiares de idosos de alta dependência em acompanhamento domiciliário [Dissertação]. Campinas: Universidade Estadual de Campinas; 2001.

Badia Llach X, Lara Suriñach N, Roset Gamisans M. Calidad de vida, tiempo de dedicación y carga percibida por el cuidador principal informal del enfermo de Alzheimer. Aten Primaria. 2004;34(4):170-7. Doi: http://dx.doi.org/10.1016/s0212-6567(04)78904-0

Falcão D, Braz M, Garcia C, Santos G, Yassuda, M, Cachioni M, et al. Atenção psicogerontológica aos cuidadores familiares de idosos com doença de Alzheimer. Psic Saúde Doenças. 2018;19(2):377-89. Doi: http://dx.doi.org/10.15309/18psd190217

Cachioni M, Lima-Silva TB, Ordonez TN, Galo-Tiago J, Alves AR, Suzuki MY, et al. Elderly patients with Alzheimer’s disease and their family relationships Caregiver perspectives. Dement Neuropsychol 2011; 5(2):114-22. Doi: https://doi.org/10.1590/S1980-57642011DN05020010

Lemos ND, Gazolla JM, Ramos, LR. Cuidando do saciente com Alzheimer: o impacto da doença no cuidador. Saude Soc.2006;15(3):170-9. Doi: https://doi.org/10.1590/S0104-12902006000300014

Cesário VAC, Leal MCC, Marques APO, Claudino KA. Estresse e qualidade de vida do cuidador familiar de idoso portador da doença de Alzheimer. Saúde Debate. 2017; 112(41):171-82. Doi: https://doi.org/10.1590/0103-1104201711214

Lenardt MH, Silva SC, Willig MH, Seima MD. O idoso portador da doença de Alzheimer: o cuidado e o conhecimento do cuidador familiar. Rev Min Enferm 2010; 14(3):301-7.

Fridman C, Gregório SP, Dias Neto E, Ojopi EPB. Alterações genéticas na doença de Alzheimer. Rev Psiq Clín. 2004; 31(1):19-25. Doi: https://doi.org/10.1590/S0101-60832004000100004

Luzardo AR, Gorini MIPC, Silva APSS. Características de idosos com Doença de Alzheimer e seus cuidadores: uma série de casos em um serviço de neurogeriatria. Texto Contexto Enferm. 2006;15(4):587-94. Doi: https://doi.org/10.1590/S0104-07072006000400006

Santos LF, Forgerini M, Mastroianni PC. Pacientes com diagnóstico provável de Alzheimer: um estudo fármacoepidemilógico. Rev Ciên Farm Básica Apl. 2018; 39(Supl 1):85.

Herrera Junior E, Caramelli P, Silveira AS, Nitrini R. Epidemiologic survey of dementia in a community-dwelling Brazilian population. Alzheimer Dis Assoc Disord. 2002;16(2):103-8. Doi: https://doi.org/10.1097/00002093-200204000-00007

Santos MD, Borges SM. Percepção da funcionalidade nas fases leve e moderada da doença de Alzheimer: visão do paciente e seu cuidador. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2015; 18(2):339-49. Doi: https://doi.org/10.1590/1809-9823.2015.14154

Talmelli LFS, Gratão ACM, Kusumota L, Rodrigues RAP. Nível de independência funcional e déficit cognitivo em idosos com doença de Alzheimer. Rev Esc Enferm USP. 2010;44(4):933-9. Doi: https://doi.org/10.1590/S0080-62342010000400011

Gallucci Neto J, Tamelini MGG, Forlenza, OV. Diagnóstico diferencial das demências. Rev Psiquiatr Clin. 2005; 32(3):119-30. Doi: https://doi.org/10.1590/S0101-60832005000300004

Ximenes MA. Doença de Alzheimer: o cuidado no diagnóstico. Rev Portal Divulg. 2014;41:52-6.

Oliveira MF, Ribeiro M, Borges R, Luginger S. Doença de Alzheimer: perfil neuropsicológico e tratamento [Monografia]. Porto: Universidade Lusíada do Porto; 2005.

Bagne BM, Gasparino RC. Qualidade de vida do cuidador do portador de Doença de Alzheimer. Rev Enferm UERJ. 2014;22(2):258-63.

Rogers SD, Jarrot SE. Cognitive impairment and effects on upper body strength of adults with dementia. J Aging Phys Act. 2008;16(1):61-8. Doi: https://doi.org/10.1123/japa.16.1.61

Kato-Narita EM, Nitrini R, Radanovic M. Assessment of balance in mild and moderate stages of Alzheimer's disease: implications on falls and functional capacity. Arq Neuropsiquiatr. 2011;69(2A):202-7. Doi: https://doi.org/10.1590/s0004-282x2011000200012

Publicado

2021-03-31

Edição

Seção

Artigo Original
MÉTRICAS | METRICS